Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Fevereiro de 2019

ÁFRICA

ELEIÇÕES E DEMOCRACIA EM ÁFRICA A CONTROVÉRSIA SOBRE UM MODELO QUE SE IMPÕE

ÁFRICA

Calendário das Eleições em África 2019

ÁFRICA

O REFINAMENTO DOS REGIMES AUTORITÁRIOS NÃO É SÓ COISA DE AFRICANOS

CONGO RD

AS ELEIÇÕES NA RD CONGO AS PRECIOSAS LIÇÕES QUE A RD CONGO APRENDEU COM A CÔTE D’IVOIRE

ÁFRICA

A África é segunda no ranking mundial da desflorestação

EGITO

África quer tornar comércio intra-africano uma marca

ÁFRICA

«Guerra contra o terrorismo islâmico em Africa»: Anatomia de um fracasso

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

Rádio

Publicidade

Estudos

Os dez mais ricos de África, segundo a revista Forbes

| Editoria Estudos | 20/03/2015

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Os dez homens mais ricos de África

A revista Forbes publicou, como é habitual, o seu ranking dos homens mais ricos do mundo. O primeiro lugar, como já é habitual, pertence ao nigeriano Aliko Dangote, mas nesta lista há ainda um outro nigeriano, três sul-africanos, dois egípcios, um argelino, um marroquino… e uma angolana – Isabel dos Santos, que surge em sétimo lugar.


10. Othman Benjelloun

Marrocos, 81 anos, 2,8 mil milhões de dólares

É um homem de negócios marroquino que fez a sua fortuna na banca, nos seguros, nas telecomunicações e também por heranças. O seu pai era um grande acionista de uma companhia de seguros que Othman comprou em 1988, transformando-a numa empresa bancária, o BMCE Bank, que está agora presente em pelo menos 15 países. No entanto, o seu maior trunfo é a RMA Watanya, uma seguradora.

9. Mohamed Mansour

Egito, 65 anos, 3,1 mil milhões de dólares

Este milionário «self-made» está no Cairo, capital do Egito, e com dois irmãos dirige as vendas de tratores e de equipamentos da Caterpillar a oito países africanos e à Rússia através do Mansour Group. Nasceu numa das famílias de negócios mais proeminentes de Alexandria e licenciou-se em Engenharia na Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, em 1968.

8. Issad Rebrab

Argélia, 70 anos, 3,2 mil milhões de dólares

É um empreendedor argelino e é CEO do grupo industrial CEVITAL. Esta é a maior empresa privada da Argélia, empregando milhares de pessoas em quatro setores principais: indústria do aço, indústria alimentar, agronegócio e eletrónica. O seu primeiro passo em direção a tornar-se uma das pessoas mais ricas de África foi dado ao comprar ações da empresa de construção e metalúrgica Sotecom.

7. Isabel dos Santos

Angola, 40 anos, 3,5 mil milhões de dólares

É a mulher mais rica de África, e sua primeira multimilionária. Tem interesses numa série de negócios, incluindo telecomunicações, media, finanças, banca e indústria energética, maioritariamente em Angola e em Portugal. Disse numa entrevista que o futuro das telecomunicações em África está sobretudo focado na conectividade.

6. Christoffel Wiese

África do Sul, 72 anos, 3,8 mil milhões de dólares

Este magnata do retalho sul-africano é dono de uma das mais bem-sucedidas cadeias de alimentação do país, a Shoprite, que tem lojas em 17 países africanos. É também dono da Pepkor, uma marca de vestuário que funciona com diversas marcas de descontos. Foi aluno da Stellenbosch University, na África do Sul, é casado e tem três filhos.

5. Mike Adenuga

Nigéria, 60 anos, 4,6 mil milhões de dólares

É conhecido como o «furacão» nigeriano dos negócios. Adenuga fez a sua fortuna no petróleo e nas telecomunicações e é amplamente considerado uma das pessoas negras mais ricas do mundo. A sua empresa, a Globacom, controla a segunda maior operadora de telecomunicações da Nigéria, e é também dono de uma participação no Equatorial Trust Bank e de outra na empresa de exploração de petróleo Conoil. É o segundo nigeriano mais rico, só atrás de Aliko Dangote (o homem mais rico de África).

4. Nassef Sawiris

Egito, 52 anos, 5,9 mil milhões de dólares

A viver no Cairo, Egito, é o CEO da Orascom Construction Industries. É o mais novo dos três filhos de Onsi Sawiris, sendo os outros dois Naguib e Samih. A empresa fundada pelo seu pai é a empresa egípcia com maior capital aberto. Nassef Sawiris é também membro da NASDAQ Dubai e tem atualmente um lugar na direção da Besix, na Bélgica, e da NNS Holding, no Luxemburgo.

3. Nicky Oppenheimer

África do Sul, 68 anos, 6,6 mil milhões de dólares

Este empresário sul-africano é o «chairman» da empresa de mineração de diamantes De Beers, e da sua subsidiária, a Diamond Trading Company. Em novembro de 2011, a família Oppenheimer vendeu a totalidade da sua participação de 40% na De Beers à Anglo American. Também administra conjuntamente uma empresa de «venture capital», a Green and Partner Investments, que financiou uma série de projetos na África do Sul e por todo o continente.

2. Johann Rupert

África do Sul, 63 anos, 7,9 mil milhões de dólares

Em 2010 foi eleito o líder empresarial mais admirado da África do Sul, embora raramente dê entrevistas e evite eventos públicos. É o filho mais velho do magnata dos negócios Anton Rupert e o «chairman» da empresa de bens de luxo com sede na Suíça Richemont, bem como da Remgro, com sede na África do Sul. É também CEO da Compagnie Financiere Richemont.

1. Aliko Dangote

Nigéria, 56 anos, 20,8 mil milhões de dólares

Presidente da Dangote Cement, este milionário «self-made», o único com dois dígitos nos milhares de dólares de fortuna, continua a ser o homem mais rico de África, e mantém planos «agressivos» para aumentar e desenvolver os seus interesses empresariais.

Os próximos projetos passam por construir novas plantas de petróleo no Quénia e no Níger, e, recentemente, disse que irá construir uma refinaria de petróleo e um complexo petroquímico na Nigéria no valor de 9 mil milhões de dólares. O Grupo Dangote entrou nos negócios como uma pequena firma, em 1977, e hoje é um conglomerado que vale multibiliões de nairas, com muitos dos seus negócios no Benim, no Gana, no Togo e «em casa» – na Nigéria, aliás, domina o negócio das refinarias e o mercado do açúcar, além de ser o principal fornecedor das empresas nacionais de refrigerantes. O Dangote Group também possui fábricas de sal e moinhos de farinha e tem grandes investimentos nos setores imobiliário, bancário, de transportes, têxtil, do petróleo e do gás, empregando mais de 11 mil pessoas.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade