Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Turismo

Turismo queniano otimista quanto a nova estrada de Mombasa

| Editoria Turismo | 13/09/2015

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O governo queniano lançou recentemente o projeto de uma estrada a partir de Mombasa para a costa sul – uma ideia com décadas mas que foi sendo adiada. Agora, os empreiteiros têm finalmente o terreno à disposição, e já mobilizaram recursos humanos e equipamento para iniciar a construção da primeira de três secções.

«Os resorts e os operadores turísticos passaram por dificuldades tão grandes ao longo dos anos que é impossível acreditar»
(DR)

O portal eTurboNews recorda que a costa sul, até agora, dependia da «estreita» travessia por ferry-boat de Likoni, ou então de um caminho antigo e de terra batida, que dificilmente pode ser considerado uma estrada, que sai da principal autoestrada, entre Nairobi e Mombasa, para chegar a Kwale, antes de se unir à estrada de Mombasa para Lunga Lunga.

A construção, que está, de acordo com uma fonte em Mombasa, pronta para avançar, irá cobrir o troço de Miritini para Kipevu, com cerca de 10 quilómetros de estrada nova, desde a estrada existente até ao perímetro do porto.

A segunda parte do novo acesso ligará depois o Aeroporto Internacional de Moi à nova estrada, e incluirá várias pontes através das quais cruzará rios e outras zonas húmidas até chegar a Dongo Kundu. Uma vez concluída esta etapa, a terceira e última secção vai ser construída até Kibundani, onde o novo acesso se unirá à principal Estrada para Ukunda (onde está a ligação para as multipremiadas praias de Diani), e seguindo para a fronteira com a Tanzânia em Lunga Lunga.

O governo central precisou de 30 anos, no total, para elaborar o projeto e resolver todas as questões paralelas (em termos de posse de terras, por exemplo). Agora, quando aparentemente a pior parte já foi resolvida, há expectativas muito boas: «os resorts e os operadores turísticos passaram por dificuldades tão grandes ao longo dos anos devido aos maus acessos que é impossível acreditar. Desde voos perdidos a muitas horas de caminhos tortuosos… Era inaceitável», diz uma fonte queniana. «Mas, quando anova estrada estiver pronta, os turistas vão conseguir chegar do aeroporto a Diani muito depressa, reduzindo a viagem em uma hora e meia a duas horas. Os turistas vão conseguir evitar Likoni por completo – que, como sabemos, é um ponto problemático em diversos aspetos. E aqueles que venham do norte do país para passar umas férias a sul podem atalhar caminho, evitando Mombasa e seguindo diretamente para Ukunda», acrescenta.

Como é fácil concluir, a indústria turística costeira no Quénia espera com enorme otimismo a abertura deste novo acesso.

Redação

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade