Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

ARGENTINA

Marcha-atrás na Argentina

ANGOLA

O BALANÇO DO PASSADO PARA CONSTRUIR UM NOVO FUTURO

MOÇAMBIQUE

Os cinco dias que abalaram Moçambique

REINO UNIDO

BREXIT E O JOGO DO “EU SAIO MAS QUERO FICAR”

ÁFRICA

A doença do poder e os doentes no poder em Africa

ESTADOS UNIDOS

Guerras comerciais e desordem mundial

MUNDO

Memória Deixaram-nos em 2018

Rádio

Publicidade

Cultura

Angola alberga bienal sobre cultura de paz em África

| Editoria Cultura | 09/11/2015

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Uma bienal sobre a cultura de paz em África realizar-se-á em Luanda no próximo ano, anunciou este fim de semana o ministro do Ensino Superior, Adão do Nascimento.

O ministro saudou os apelos da UNESCO para que a comunidade internacional se empenhe na defesa incondicional dos bens do património da Humanidade
(DR)

O governante fez este anúncio quando intervinha na 38.ª sessão plenária da Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, as Ciências e a Cultura (UNESCO), que decorre em Paris desde dia 3.

Adão do Nascimento disse aos representantes dos Estados-membros da UNESCO que a bienal fará, entre outras, uma avaliação do cumprimento pelos Estados-membros da União Africana (UA) do Plano de Ação aprovado em Luanda em março de 2013.A seu ver, o fórum é mais uma via pragmática para a materialização do lema secular da UNESCO, concretamente «nascendo as guerras do espírito dos homens, é no espírito dos homens que devem ser erguidos os baluartes da paz».

O ministro saudou os apelos da UNESCO para que a comunidade internacional se empenhe na defesa incondicional dos bens do património da Humanidade, vítimas de destruição indiscriminada em vários pontos do mundo.

O governante destacou ainda os esforços envidados por Angola para envolver diversos atores no quadro de iniciativas públicas e privadas com parceiros nacionais e estrangeiros. Adão do Nascimento referiu-se às atividades mais notórias dos últimos anos, nomeadamente o II Festival Nacional da Cultura, considerando-o como um momento alto da celebração e da exaltação da cultura angolana, e o Encontro Nacional sobre a Museologia em Angola, que, considera, permitiu partilhar e enriquecer a visão sobre a política de museus do país.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade