Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Rádio

Publicidade

Política

Ministros do Togo pedem segurança reforçada em hotéis e restaurantes

| Editoria Política | 27/02/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O ministro togolês da Segurança e da Proteção Civil, coronel Damehame Yark, e a sua colega do Turismo, Bernardette Legzim-Balouki, apelaram aos operadores dos setores da restauração e da hotelaria para reforçarem a segurança dentro e em torno dos seus estabelecimentos, devido ao clima de insegurança na sub-região.

O ministro da Segurança propôs aos operadores do setor que recorram também a elementos de segurança privada
(DR)

«Não pairam ameaças sobre o nosso país, mas não devemos ficar inativos», defendeu Damehame Yark perante os operadores do setor da hotelaria e da restauração.

Por sua vez, Bernardette Legzim-Balouki lembrou aos hoteleiros que é importante respeitarem os procedimentos de preenchimento das fichas da polícia, como exige a profissão, porque face ao clima de insegurança na sub-região não se devem cometer erros em matéria de princípios.

O coronel Yark, que revelou que unidades especiais estão disponíveis para intervir em caso de problemas, propôs ainda aos operadores do setor que recorram também a elementos de segurança privada, porque o Estado não pode posicionar forças de segurança em frente a cada hotel.

O Togo, que se prepara para acolher, em outubro, a Cimeira sobre Segurança Marítima, em colaboração com a União Africana (UA), foi instado a reforçar a sua segurança, sobretudo nos arredores dos hotéis que deverão albergar participantes.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade