Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Turismo

Angola é importante plataforma para o setor aéreo africano

| Editoria Turismo | 23/04/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Angola é das mais importantes plataformas da indústria aérea em África, sendo um mercado cheio de futuro, que se continua a desenvolver. A opinião é de Rachid Romg, diretor da companhia de bandeira marroquina, a Royal Air Maroc.

«Angola é um dos maiores e mais dinâmicos mercados do continente, cheio de futuro e que se continua a desenvolver»
(DR)

Em Luanda, Rachid Romg disse que, apesar de afetada pela crise, Angola é, no quadro da indústria aérea africana, uma potência só comparável à África do Sul, ao Quénia, ao Egito e a Marrocos.

«Angola é um dos maiores e mais dinâmicos mercados do continente, cheio de futuro e que se continua a desenvolver, com muitas empresas estrangeiras, além de que os próprios angolanos viajam muito», afirmou Romg.

Para o responsável da Royal Air Maroc, esta situação faz de Angola, em termos de transportes aéreos, um grande e diversificado mercado, onde se encontram todas as categorias e todos os segmentos de clientela. «Por isso, estamos muitos confiantes quanto a continuar a investir e a desenvolver aqui a nossa atividade, já que há uma tendência de crescimento muito boa para a nossa companhia», anunciou.

Romg recordou depois que a Air Maroc começou a voar para Angola em 2011 e que durante dois anos operou com aviões de pequeno porte, sem capacidade para voos diretos na rota Casablanca-Luanda. A partir de 2013 começou uma nova era, passando a companhia a operar o Boeing 767-300, com capacidade para 236 lugares, sendo 224 em económica e 12 em executiva.

«Hoje temos três frequências semanais diretas entre Casablanca e Luanda, às segundas, quartas e sextas-feiras, e com ligações a várias capitais da Europa, da América e da Ásia», frisou ainda Romg.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade