Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Outubro de 2018

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

ÁFRICA

RELGIÕES E SEITAS EM ÁFRICA, O NOVO ÓPIO DO POVO?

ÁFRICA

Condições do FMI na África atual

MUNDO

Odebrecht e Microsoft firmam acordo de cooperação científica e tecnológica

ÁFRICA

PAÍSES FALHADOS, OU ESTADOS FRÁGEIS, EIS A QUESTÃO NÃO SÓ AFRICANA

BRASIL

Entrevista Celso Marcondes - “O Brasil deve retomar sua política externa de integração”

Rádio

Publicidade

Política

Supremo Tribunal da Costa do Marfim diz que condenação de Simone Gbagbo é definitiva

| Editoria Política | 27/05/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Supremo Tribunal da Costa do Marfim rejeitou o recurso de cassação de Simone Gbagbo, determinando assim a sua condenação definitiva a 20 anos de prisão por atentado à segurança do Estado, anunciou um dos seus advogados.

Simone Gbagbo, esposa do ex-Presidente Laurent Gbagbo, atualmente presa em Abidjan, foi condenada a 10 de março de 2015 a 20 anos de prisão
(DR)

«O Supremo Tribunal rejeitou, quinta-feira, o nosso recurso», afirmou Rodrigue Dadjé, criticando aquilo que disse ser uma «decisão política» e considerando existirem «argumentos jurídicos para anular a condenação».

Simone Gbagbo, esposa do ex-Presidente Laurent Gbagbo, atualmente presa em Abidjan, foi condenada a 10 de março de 2015 a 20 anos de prisão, por atentado a segurança do Estado – um veredito duro, porquanto duplica as decisões da Procuradoria-geral, que havia pedido 10 anos de prisão.

Simone foi julgada com 78 corréus pelo seu envolvimento na crise causada pela recusa de Laurent Gbagbo de reconhecer a vitória de Alassane Ouattara nas presidenciais de novembro de 2010. A onda de violência que marcou a crise pós-eleitoral de 2010-2011 causou mais de 3 mil mortes em cinco meses.

Michel Gbagbo, filho do ex-Presidente, nascido de um primeiro casamento, com uma francesa, foi condenado a cinco anos de prisão.

Simone Gbagbo comparecerá a partir de 31 de maio, em Abidjan, perante um tribunal, desta feita por crimes contra a humanidade durante a crise pós-eleitoral.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade