Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Outubro de 2018

ÁFRICA

ÁFRICA DE AMANHÃ - A grande aposta nas tecnologias de informação e comunicação

ANGOLA

Angola aposta em políticas públicas para maior inclusão digital

ANGOLA

Uma sucessão em dois actos

ESTADOS UNIDOS

Resistência na casa Branca contra Trump

ETIÓPIA

Etiópia: Abiy Ahmed, um primeiro-ministro chamado «revolução»

ÁFRICA DO SUL

África do Sul : O começo de uma segunda transição política

ÁFRICA

A revolução dos arquitetos africanos

EGITO

CAIRO, A CIDADE QUE MAIS CRESCE NO MUNDO

Rádio

Publicidade

Sociedade

Empresa pede desculpa por anúncio racista

| Editoria Sociedade | 30/05/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Um fabricante chinês de detergentes pediu desculpa, depois de ter sido criticado na imprensa internacional e nas redes sociais por um anúncio em que um homem negro se converte num chinês após ser «lavado» numa máquina de lavar roupa.

Na semana passada, a firma culpou a «hipersensibilidade» ocidental pela polémica
(DR)

A companhia de cosméticos Leishang, com sede em Xangai, esclareceu que condena a descriminação racial, e lamentou a «amplificação» negativa dada pela imprensa.

Na semana passada, a firma culpou a «hipersensibilidade» ocidental pela polémica.

«A ideia era recorrer ao exagero artístico para fazer comédia. Não tínhamos intenção de descriminar (...), mas não nos desresponsabilizamos pelo seu controverso conteúdo», disse agora o grupo, num comunicado.

Na mesma nota, a Leishang pede desculpa «pelos danos causados ao povo africano e pela difusão e pela amplificação feita pela imprensa».

O anúncio mostra um homem negro, envergando roupas sujas e com marcas de tinta, a tentar seduzir uma jovem chinesa, que se mostra interessada. O homem aproxima-se e tenta beijar a mulher, que no último momento se esquiva e lhe enfia uma cápsula de detergente para a roupa «Qiaobi» na boca, empurrando-o para dentro da máquina de lavar. Momentos depois, sai da máquina um chinês.

Em declarações ao jornal oficial China Daily, Liu Junhai, professor de lei civil e comercial na Universidade Renmin, em Pequim, disse que o anúncio reflete a falta de consciência sobre questões raciais na China. «As marcas chinesas deviam manter-se alerta, devido à rápida propagação nas redes sociais», afirmou, acrescentando que a sensibilidade sobre questões raciais entre anunciantes e público na China não é tão elevada como nos países ocidentais.

O jornal oficial Global Times preferiu apontar o «excesso de sensibilidade» dos órgãos de comunicação estrangeiros.

Para ver o anúncio em causa, basta clicar na imagem acima.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade