Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

ARGENTINA

Marcha-atrás na Argentina

ANGOLA

O BALANÇO DO PASSADO PARA CONSTRUIR UM NOVO FUTURO

MOÇAMBIQUE

Os cinco dias que abalaram Moçambique

REINO UNIDO

BREXIT E O JOGO DO “EU SAIO MAS QUERO FICAR”

ÁFRICA

A doença do poder e os doentes no poder em Africa

ESTADOS UNIDOS

Guerras comerciais e desordem mundial

MUNDO

Memória Deixaram-nos em 2018

Rádio

Publicidade

Sociedade

Empresa pede desculpa por anúncio racista

| Editoria Sociedade | 30/05/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Um fabricante chinês de detergentes pediu desculpa, depois de ter sido criticado na imprensa internacional e nas redes sociais por um anúncio em que um homem negro se converte num chinês após ser «lavado» numa máquina de lavar roupa.

Na semana passada, a firma culpou a «hipersensibilidade» ocidental pela polémica
(DR)

A companhia de cosméticos Leishang, com sede em Xangai, esclareceu que condena a descriminação racial, e lamentou a «amplificação» negativa dada pela imprensa.

Na semana passada, a firma culpou a «hipersensibilidade» ocidental pela polémica.

«A ideia era recorrer ao exagero artístico para fazer comédia. Não tínhamos intenção de descriminar (...), mas não nos desresponsabilizamos pelo seu controverso conteúdo», disse agora o grupo, num comunicado.

Na mesma nota, a Leishang pede desculpa «pelos danos causados ao povo africano e pela difusão e pela amplificação feita pela imprensa».

O anúncio mostra um homem negro, envergando roupas sujas e com marcas de tinta, a tentar seduzir uma jovem chinesa, que se mostra interessada. O homem aproxima-se e tenta beijar a mulher, que no último momento se esquiva e lhe enfia uma cápsula de detergente para a roupa «Qiaobi» na boca, empurrando-o para dentro da máquina de lavar. Momentos depois, sai da máquina um chinês.

Em declarações ao jornal oficial China Daily, Liu Junhai, professor de lei civil e comercial na Universidade Renmin, em Pequim, disse que o anúncio reflete a falta de consciência sobre questões raciais na China. «As marcas chinesas deviam manter-se alerta, devido à rápida propagação nas redes sociais», afirmou, acrescentando que a sensibilidade sobre questões raciais entre anunciantes e público na China não é tão elevada como nos países ocidentais.

O jornal oficial Global Times preferiu apontar o «excesso de sensibilidade» dos órgãos de comunicação estrangeiros.

Para ver o anúncio em causa, basta clicar na imagem acima.

Redação com Agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade