Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

ARGENTINA

Marcha-atrás na Argentina

ANGOLA

O BALANÇO DO PASSADO PARA CONSTRUIR UM NOVO FUTURO

MOÇAMBIQUE

Os cinco dias que abalaram Moçambique

REINO UNIDO

BREXIT E O JOGO DO “EU SAIO MAS QUERO FICAR”

ÁFRICA

A doença do poder e os doentes no poder em Africa

ESTADOS UNIDOS

Guerras comerciais e desordem mundial

MUNDO

Memória Deixaram-nos em 2018

Rádio

Publicidade

Ciência

China lança o primeiro satélite de telecomunicação quântica do mundo

| Editoria Ciência | 17/08/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O primeiro satélite de telecomunicação quântica do mundo foi lançado na  China, no deserto de Gobi (noroeste do país), avançou a imprensa oficial.

A principal missão do satélite é tentar transmitir à Terra e receber a partir desta fotões quânticos, que em teoria não podem ser separados ou duplicados
DR

Designado de QUESS (sigla em inglês para Experiências com Quânticos à Escala Espacial) e com um peso de 600 quilos e o tamanho de um automóvel, o satélite foi lançado com foguetes propulsores Longa Marcha 2D.

O satélite, com o qual a China quer investigar a teleportação e formas de comunicação a distâncias impossíveis de intercetar, vai girar numa órbita sincronizada com o sol.

A principal missão do satélite é tentar transmitir à Terra e receber a partir desta fotões quânticos, que em teoria não podem ser separados ou duplicados, o que pode ser a base para uma comunicação blindada a "hackers".

A partir daquele satélite, tentar-se-á estabelecer comunicações seguras deste tipo entre Pequim e a região de Xinjiang, no noroeste do país.

A China planeia construir, a curto prazo, uma rede de comunicação quântica de 2.000 quilómetros, entre Pequim e Xangai, as duas principais metrópoles do país, para ser usada por agências governamentais e bancos.

Redação com agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade