Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Fevereiro de 2017

ANGOLA

O ano da(s) mudança(s)

ANGOLA

Melhorar a qualidade da despesa no quadro do OGE 2017

GÂMBIA

CEDEAO segura democracia

ESTADOS UNIDOS

Os primeiros 10 dias de Trump

Rádio

Publicidade

Ambiente

África avança com muralha verde para travar avanço do Saara

| Editoria Ambiente | 12/10/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Dentro de aproximadamente vinte anos, a “Grande Muralha Verde”, como é conhecida, deverá estar construída, muralha esta que tem o objetivo de impedir o contínuo avanço do deserto do Saara, que continua a estender-se ano após ano com as dunas a serem arrastadas pelo vento.

Explica a NBC que esta muralha será composta por um largo cinturão de árvores que se irão replicar ao longo de 15 quilómetros de largura e mais de sete mil em comprimento, ligando a Mauritânia e Djibouti, abrangendo assim todo o continente africano.

Além de tentar estancar de vez o avanço do deserto, espera-se que esta nova floresta – que deverá cobrir quase 12 milhões de hectares – consiga combater a pobreza e também garantir uma melhor gestão dos recursos naturais.

Já em 2007, as Nações Unidas elaboraram um relatório sobre Alimentação e Agricultura que concluía que os países que virão a ser protegidos por esta muralha (Burkina Faso, Djibouti, Eritreia, Etiópia, Mali, Mauritânia, Niger, Nigéria, Senegal, Sudão e Chad) perdiam, em média, 1.712 milhões de hectares de floresta por ano.

Redação com agência

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade