Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Fevereiro de 2019

ÁFRICA

ELEIÇÕES E DEMOCRACIA EM ÁFRICA A CONTROVÉRSIA SOBRE UM MODELO QUE SE IMPÕE

ÁFRICA

Calendário das Eleições em África 2019

ÁFRICA

O REFINAMENTO DOS REGIMES AUTORITÁRIOS NÃO É SÓ COISA DE AFRICANOS

CONGO RD

AS ELEIÇÕES NA RD CONGO AS PRECIOSAS LIÇÕES QUE A RD CONGO APRENDEU COM A CÔTE D’IVOIRE

ÁFRICA

A África é segunda no ranking mundial da desflorestação

EGITO

África quer tornar comércio intra-africano uma marca

ÁFRICA

«Guerra contra o terrorismo islâmico em Africa»: Anatomia de um fracasso

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

Rádio

Publicidade

Política

Argélia e Tchad assinam acordo de cooperação na área de segurança

| Editoria Política | 08/11/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Um memorando de entendimento visando a cooperação entre a Argélia e o Tchad na área de segurança foi rubricado ontem, 6, em Argel, pelo ministro argelino do Interior e Coletividades Locais, Noureddine Bedoui, e pelo seu homólogo tchadiano encarregue da Segurança Pública e Imigração, Ahmat Bachir.


Na ocasião, Noureddine Bedoui adiantou que a situação na região do Sahel exige a conjugação dos esforços com os países amigos para reforçar a cooperação no domínio da segurança e fazer face aos perigos que ameaçam os países da área. Depois de concordar com o seu colega argelino, o ministro tchadiano, Ahmat Bachir, sublinhou que, para isso, é fundamental que as comunidades locais dos dois países colaborem em matéria de segurança, por exemplo, trocando informações.

Recorde-se que a faixa sahelo-sariana, que se estende da Mauritânia ao Tchad, passando pelo Mali, Mauritânia e pelo Níger, é das mais afetadas pela ação do terrorismo em África. Como resultado, estimativas da ONU indicam que, na referida região, um a cada sete indivíduos não tem comida, uma a cada cinco crianças não chega aos cinco anos de idade e 4,5 milhões de pessoas foram forçadas a abandonar suas casas.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade