Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Economia

Doadores prometem mais de 2 mil milhões de euros para reconstruir República Centro-Africana

| Editoria Economia | 19/11/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Oitenta países, organizações e agências internacionais prometeram mais de 2 mil milhões de euros para ajudar a estabilização da RCA nos próximos três anos, no termo de uma conferência internacional de doadores que teve lugar em Bruxelas, nos dias 17 e 18 deste mês (quinta e sexta-feira).


Aspeto de campo de refugiados na RCA

A República Centro-Africana (RCA), que viveu uma grave crise política, militar, económica e social desde 2013, quando os rebeldes muçulmanos Seleka derrubaram o Governo do Presidente François Bozizé, entrou num período de relativa normalização a partir de março deste ano, depois da realização das eleições gerais.

O país está ansioso e pronto para começar a reconstrução, mas depende de financiamento. O programa de mais de 2 mil milhões de euros acordado entre os doadores e a RCA é vasto e ambicioso. “É um mapa claro. A comunidade internacional tem um papel fundamental neste plano", disse Federica Mogherini, alta representante da UE para a política externa, lembrando que em termos de reconstrução "as necessidades são enormes".

Aquele montante faz parte de um plano de cinco anos estimado em cerca de 3 mil milhões. O plano que o governo do país desenvolveu com o Conselho da UE, o Banco Mundial e as Nações Unidas divide-se em três eixos: alcançar a paz, a reconciliação e a segurança; restabelecer o controlo territorial do Estado e os serviços básicos, como água e educação; recuperação económica. 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade