Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2016

ESTADOS UNIDOS

“Surprise”! E o vencedor foi... Donald Trump!

ANGOLA

“O problema que estamos com ele”

MUNDO

Uma luta “irreversível”

MOÇAMBIQUE

Recuperar a confiança, precisa-se

Rádio

Publicidade

+ Angola

Hidroelétrica de Laúca, em Angola, entra na fase de conclusão

| Editoria + Angola | 07/12/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Cerca de 500 pessoas das aldeias localizadas na área da albufeira do projeto hidroeléctrico de Laúca começaram a ser realojadas este mês no município de Mussende, província do Cuanza Sul, para permitir o enchimento do reservatório a partir de fevereiro do próximo ano.


O enchimento da albufeira vai durar 120 dias, para permitir o arranque da produção de energia elétrica a partir da primeira turbina em julho do próximo ano. Neste momento, estão a ser instaladas as linhas de transporte de energia que vão ligar Laúca a Capanda, cujas obras ficam concluídas no final deste mês. Serão ainda construídas, no âmbito do projeto Laúca, as linhas de transporte de energia de Laúca/Cambambe, Laúca/Cacuso/Calandula e Malanje.

Considerado o maior projeto de engenharia civil e mecânica de Angola, a Barragem de Laúca está localizada a 47 quilómetros do Aproveitamento Hidroelétrico de Capanda, situada em Malanje, e a 400 quilómetros de Luanda.

Com um investimento de cinco mil milhões de dólares, envolvendo a construção, produção, fornecimento e colocação em serviço do sistema de transporte de energia, o empreendimento hidroelétrico de Laúca é a terceira barragem em construção no leito do rio Cuanza, depois de Cambambe e Capanda, e a segunda maior barragem em construção no continente africano.

A entrada em funcionamento da central principal, a partir do primeiro semestre do próximo ano, vai beneficiar mais de cinco milhões de pessoas das regiões norte, centro e sul do país. O projecto surgiu a partir de um estudo de inventário realizado na década de 1950, solicitado pela então SONEFE à empresa Hydrotechnic Corporation (USA). Foi retomado em 2008, com a realização dos estudos de viabilidade solicitados pelo governo angolano à brasileira Odebrecht.

Laúca emprega 7.643 trabalhadores nacionais e 385 estrangeiros. Oriundos de todas as províncias do país, os trabalhadores angolanos, na sua maioria jovens, recebem formação em diversas matérias. No futuro, vão garantir a manutenção da barragem.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade