Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2017

MARROCOS

A nova potência africana?

ANGOLA

Pré-campanha já começou

ÁFRICA

A agricultura africana clama por uma justiça climática

MOÇAMBIQUE

Descentralização e questões militares ditam o futuro

Rádio

Publicidade

Ambiente

Encontrada na Tanzânia árvore mais alta de África

| Editoria Ambiente | 08/12/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Pesquisadores alemães descobriram nos contrafortes do Kilimanjaro a árvore mais alta até agora conhecida no continente africano. Trata-se de uma espécime de entandrophragma excelsum de 81,5 metros, 2,5 metros de diâmetro e 600 anos de idade.


As árvores mais altas do mundo situam-se nos Estados Unidos, onde as gigantescas sequoias ultrapassam os 110 metros, e na Austrália, onde existem eucaliptos com quase 100 metros. Segundo se acreditava até agora, as árvores africanas não podiam crescer mais do que 65 metros. Apenas era conhecido um eucalipto introduzido no início do século XX na África do Sul que atingira 81 metros, mas foi derrubado em 2006, depois de uma tempestade.

O biologista Andreas Hemp, da Universidade de Bayreuth, que coordenou a equipa de pesquisadores que descobriu a árvore mais alta de África, explica que  há muitas áreas no continente que continuam mal estudadas, em especial em locais onde a biodiversidade está mais preservada.

É o caso dos contrafortes das célebres montanhas do Kilimanjaro, entre a Tanzânia e o Quénia. Localizados de 1200 a 2100 metros de altitude, são autênticas florestas selvagens de vários quilómetros quadrados. De acesso difícil, terras vulcânicas e chuvas abundantes, são propícios para o crescimento de grandes árvores.

Além disso, o entandrophragma excelsum tem um baixo valor comercial comparado com os sapellis e os acajus, o que também os protege dos madeireiros ilegais. Os pesquisadores informaram que, na mesma área onde foi localizada a maior árvore do continente, foram descobertas 13 árvores de mais de 50 metros de altura. Extrapolando os resultados dos seus estudos, estima-se que existam na área cerca de um milhar de “gigantes” desta espécie.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade