Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Novembro de 2017

MIANMAR

Rohingyas, vítimas da História e dos jogos de influência na Ásia

CHINA

A China e o futuro

ANGOLA

Novo Presidente, vida nova?

BRASIL

O país enfrenta 12 meses turbulentos

Rádio

Publicidade

Política

Situação na RDC: calma em Kinshasa, combates no leste

| Editoria Política | 19/12/2016

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Um dia depois do fim do último mandato constitucional do presidente Joseph Kabila e sem novas eleições à vista, a situação mantém-se calma em Kinshasa, a capital da RDC, que está fortemente patrulhada desde domingo, 18, mas ocorreram combates militares no leste do país, cujas motivações permanecem confusas.


Cinco rebeldes mai-mai, um soldado sul-africano da ONU e um polícia congolês morreram segunda-feira, 19, na sequência de combates registados no período da manhã em Butembo, após um ataque das milícias à prisão local.

“ A Monusco (missão de paz das Nações Unidas na RDC) condena este ataque, que não afeta em nada a sua vontade, conjuntamente com as Forças Armadas Congolesas (FARC), de neutralizar os grupos armados que há 20 anos desestabilizam o leste do Congo”, reagiram os “capacetes azuis”, em comunicado distribuído à imprensa local.

Cidade com um milhão de habitantes, Butembo tem sido atacada nos últimos tempos por milícias mai-mai de motivações mal esclarecidas. Alguns combatentes dizem que querem tirar do poder o presidente Kabila, mas as milícias ainda não abriram o jogo, oficialmente, sobre as motivações dos ataques que tem realizado na região.

Butembo está situada na região de Kivu, onde começaram os dois conflitos que ocorreram na RDC em 1996 e 2003 e que até hoje permanece afetada pela violência dos conflitos desencadeados pelas milícias locais.

Segundo alerta o especialista em segurança Thierry Vircoulon em artigo publicado segunda-feira, 19, no francês Le Monde, a história na RDC pode estar a repetir-se: um regime que consegue manter-se no poder pela força em Kinshasa, mas que, gradualmente, perde o controlo das demais áreas desse vasto país.

Presentemente, há conflitos regionais ou étnicos, alguns deles com conotações igualmente religiosas, em várias regiões da RDC, nomeadamente no Kivu, a leste, e no Kasai, no centro do país. O número de milícias que operam no território congolês atinge as setenta organizações. 

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade