Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Outubro de 2018

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

ÁFRICA

RELGIÕES E SEITAS EM ÁFRICA, O NOVO ÓPIO DO POVO?

ÁFRICA

Condições do FMI na África atual

MUNDO

Odebrecht e Microsoft firmam acordo de cooperação científica e tecnológica

ÁFRICA

PAÍSES FALHADOS, OU ESTADOS FRÁGEIS, EIS A QUESTÃO NÃO SÓ AFRICANA

BRASIL

Entrevista Celso Marcondes - “O Brasil deve retomar sua política externa de integração”

Rádio

Publicidade

Ciência

Brasil, país com mais artigos científicos escritos por mulheres

| Editoria Ciência | 13/03/2017

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Um estudo divulgado nesta semana aponta o Brasil como um dos países mais igualitários em questão de género na ciência. Segundo relatório da Elsevier, retomado pelo site Opera Mundi, 49% dos artigos científicos publicados no país entre 2011 e 2015 foram escritos por mulheres, mesmo número apresentado por Portugal, que, conjuntamente com o Brasil, lidera o ranking mundial de igualdade de género na ciência.

Katemari Rosa, física brasileira

Os dois países lusófonos se diferenciam, no entanto, no volume de publicações: enquanto as portuguesas escreveram 27.561 artigos durante o período de cinco anos, as brasileiras publicaram 153.967 artigos, mais de cinco vezes o número de Portugal. De lembrar que a população brasileira é quase 20 vezes maior que a de Portugal.

Em comparação com o período anterior (1996 a 2000), os dados representam um aumento de 11% de participação feminina no Brasil em um campo historicamente dominado por homens. O Brasil ficou à frente dos Estados Unidos e da União Europeia, onde a participação de mulheres na ciência corresponde a 40% e 41%, respectivamente.

Depois do Brasil e de Portugal, os países que mais se aproximaram do equilíbrio entre homens e mulheres autores de artigos científicos foram a Austrália (44%) e o Canadá (42%). O Japão foi o país com os piores resultados, com mulheres responsáveis por apenas 20% das publicações científicas nos últimos cinco anos.

O Brasil também apresentou resultados melhores que a maioria dos outros países na proporção de número de inventoras. Entre 1996 e 2015, houve um aumento de 11% para 19% de mulheres autoras de patentes no Brasil, percentual maior que nos Estados Unidos (14%), Reino Unido (12%) e Canadá (13%), mas igualado pelo Chile. Neste item, Portugal, com 26%, superou o Brasil.

Apesar da mudança nos últimos anos, áreas como física, informática e engenharia ainda apresentam um índice baixo de participação feminina, enquanto áreas da saúde contam com mais mulheres, aponta o estudo. No Brasil, as áreas onde as mulheres representam mais de metade dos artigos publicados são em áreas ligadas à saúde, como odontologia, imunologia, neurociência, farmacologia e psicologia.

O estudo também revelou que, com exceção do Japão, homens publicam mais artigos do que mulheres – no Brasil, a média é de 1,2 artigos para mulheres no período de 2011 a 2015, enquanto para homens esse número é de 1,5. Essa diferença, aponta a pesquisa, pode ser uma consequência direta da forma como mulheres são mais limitadas pela sociedade para lidar com as suas carreiras.

“Mulheres interrompem a carreira com maior frequência que os homens, geralmente por motivos relacionados com a decisão de iniciar uma família ou de cuidar de um parente. Essa diferença pode ter a ver com a falta de opções em termos de licença maternidade, com as expectativas sociais quanto a cuidados familiares (muitas vezes, espera-se que as mulheres sejam mais responsáveis por isso) e, finalmente, com a desigualdade de renda (em famílias com dois responsáveis, geralmente quem ganha menos é designado aos cuidados familiares)”, conclui o estudo.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade