Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Outubro de 2018

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

ÁFRICA

RELGIÕES E SEITAS EM ÁFRICA, O NOVO ÓPIO DO POVO?

ÁFRICA

Condições do FMI na África atual

MUNDO

Odebrecht e Microsoft firmam acordo de cooperação científica e tecnológica

ÁFRICA

PAÍSES FALHADOS, OU ESTADOS FRÁGEIS, EIS A QUESTÃO NÃO SÓ AFRICANA

BRASIL

Entrevista Celso Marcondes - “O Brasil deve retomar sua política externa de integração”

Rádio

Publicidade

+ Angola

Fábrica de cosméticos começa a produzir em Luanda

| Editoria + Angola | 26/03/2017

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Uma fábrica de cosméticos, com capacidade para 8.840 toneladas de produtos, incluindo cremes corporais, bálsamo mentolado, pó de talco e gel de banho, começou a produzir este mês em Luanda.


Trata-se da Active-Beauty Cosmetics (ABC), localizada no município de Viana, a pouco mais de dez quilómetros da capital, e que era revendedora das marcas “Bebé e Mamã” (creme), “Rox” (pó de talco) e “Bonita” (gel de banho e loção corporal), produzidas na Índia. A empresa resolveu passer a fabricar esses produtos localmente, tendo investido para dez milhões de dólares e gerando com isso 200 postos de trabalho directos e 25 indirectos, ocupados em grande medida por jovens.

A ministra da Indústria, Bernarda Martins, enalteceu a iniciativa:-“ Nestes tempos menos bons para a economia angolana, este investimento constitui uma decisão estratégica e sábia, que coloca o grupo ABC na linha da frente para os melhores tempos que aparecerão”, disse ela.

O porta-voz da empresa, Damião Baptista, disse que, além de cremes corporais, bálsamo mentolado, pó de talco e gel de banho, a ABC tem em perspetiva fabricar outros produtos. Para ele, a aposta da empresa no mercado interno está ganha, pois as marcas dos produtos agora fabricados em Angola já são conhecidas pelos consumidores angolanos.

Assim, a empresa tenciona também passar a exportar esses os seus produtos, a começar pelos países vizinhos de Angola, como a República Democrática do Congo (RDC). A aposta na exportação é, para a empresa, uma estratégia para contornar a escassez de divisas no mercado interno. Parte substancial das matéria-primas utilizadas no fabrico de cosméticos é importada, o que faz com que a fábrica dependa de possuir divisas para o efeito.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade