Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Novembro de 2018

ESTADOS UNIDOS

ESTADOS UNIDOS DEMOCRATAS RECUPERAM CÂMARA DOS REPRESENTANTES

COMORES

FRACASSO DA REBELIÃO NA ILHA DE ANJOUAN

CONGO RD

DESTAQUE RD CONGO

AFEGANISTÃO

O DILEMA AMERICANO DA RETIRADA SEM GLÓRIA

NOVA CALEDÓNIA

A colonização em questão na Nova Caledónia

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

Rádio

Publicidade

Ciência

Taxa de imunização está a crescer em todo o mundo

| Editoria Ciência | 04/06/2017

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Desde o início do século até à data, a taxa de imunização no mundo aumentou de 65-70% para 85%. Por outro lado, em cinco anos, o preço das vacinas baixou 43%, ao mesmo tempo que as farmacêuticas viram o seu mercado aumentar para 73 países, aumentando, pois, os seus lucros. Esses dados foram avançados por Marie-Ange Saraka-Yao, diretora da Aliança Mundial para a Vacinação, conhecida pela sigla GAVI.


Natural da Costa do Marfim, cabe-lhe, como diretora da GAVI, conseguir os donativos e os investimentos para imunizar a população dos países em desenvolvimento. Ela não tem dúvidas, aliás, de que a imunização estimula o desenvolvimento. “Quanto mais se investe em imunização, mais o desenvolvimento é impulsionado”, disse ela ao espanhol El Pais, exemplificando com o caso da China: - “ A China começou a desenvolver-se economicamente depois de ter investido massivamente em saúde. Hoje, é um dos principais doadores da GAVI”, acrescentou.

A Aliança Mundial para a Vacinação (GAVI) é uma associação entre algumas das melhores organizações sanitárias do mundo e importantes instituições e fundações internacionais, bem como o setor privado. Graças à parceria entre essas entidades, a arrecadação de fundos para a produção e distribuição de vacinas chegou aos 23 milhões de euros e mais de 4 milhões de crianças foram imunizadas.

A missão da GAVI é ajudar a acelerar a cobertura total de vacinação dos países em desenvolvimento. Como a GAVI atua em 73 países, consegue que as empresas farmacêuticas distribuam as vacinas a baixo preço. Por exemplo, em Moçambique, uma vacina qualquer custa cerca de 20 cêntimos de dólar. Outra vantagem de estar presente num número tão grande de países é a disponibilidade: antes disso, uma vacina, depois de completamente desenvolvida, levava 7 anos a estar disponível; atualmente, é necessário apenas um ano para isso.

Todos ganham, desde as populações, que, tendo os filhos vacinados, podem dedicar-se às suas atividades regulares, às farmacêuticas, que têm acesso a um mercado composto por 73 países, os quais contam com a vantagem adicional de serem financiados pela GAVI. A crise do ebola foi particularmente ilustrativa: as farmacêuticas foram estimuladas a desenvolver rapidamente uma vacina, pois a GAVI garantia, à partida, uma aquisição de 200 milhões de doses, e conseguiram-no.

Marie-Ange Saraka-Yao, depois de sublinhar que a GAVI acelerou a vacinação contra as duas doenças mais mortíferas para as crianças dos países em desenvolvimento – pneumonia e diarreia -, revelou que a entidade está a financiar um programa piloto para testar a vacina contra a malária, outra doença altamente fatal, em especial em África. Quanto à vacina contra o HIV-Sida, confessou que “ainda estamos longe, pois é uma doença muito complexa”.

A diretora da GAVI sublinhou que a imunização “é uma das intervenções mais eficazes em termos de saúde”, pois, além de permitir o desenvolvimento da criança, ajuda a evitar epidemias e estimula o desenvolvimento económico, “uma vez que a população é sã”. Marie-Ange é especialmente enfática em relação ao continente africano: - “Em África, a vacinação é uma questão de vida ou morte”, disse. Mas não só em África. A diretora da Aliança Mundial para a Vacinação lembrou a recente epidemia de sarampo em alguns países europeus, para acentuar as vantagens da imunização.

In AFRICA21, Junho 2017

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade