Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Novembro de 2017

MIANMAR

Rohingyas, vítimas da História e dos jogos de influência na Ásia

CHINA

A China e o futuro

ANGOLA

Novo Presidente, vida nova?

BRASIL

O país enfrenta 12 meses turbulentos

Rádio

Publicidade

O país enfrenta 12 meses turbulentos

| Editoria | 17/11/2017

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Os 207 milhões de brasileiros estão prestes a embarcar num comboio fantasma. É com esta imagem que um dos mais famosos especialistas brasileiros em marketing político define a sensação predominante entre os eleitores que em 2018 escolherão um novo presidente da República.

Os brasileiros enfrentarão um período de fortes emoções políticas que durará até outubro de 2018. Serão 12 meses turbulentos porque o país terá que conviver com uma aguda polarização entre adeptos e adversários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além disso, será possível descobrir se uma inédita campanha da magistratura pela moralização da administração pública conseguirá extirpar a corrupção institucionalizada na política ou se o esforço não passou de uma desculpa para tirar a esquerda da Presidência da República.

Há outros percalços previsíveis e que irão testar os nervos tanto de governantes, parlamentares como dos partidos e eleitores. A avalancha de denúncias contra lideranças partidárias, parlamentares, ministros, governadores e inclusive antigos e atuais presidentes da república, desestruturou o sistema político brasileiro que agora enfrenta os maiores índices de impopularidade desde o fim da ditadura militar em 1985.

Condenado a nove anos de prisão, acusado de corrupção, Luiz Inácio Lula da Silva ainda é o preferido dos brasileiros segundo as pesquisas de intenções de voto. Sua eventual ausência na primeira volta das presidenciais do dia 2 de outubro de 2018 acrescenta um fator de instabilidade na campanha eleitoral que, segundo a maioria dos comentaristas políticos da imprensa brasileira, pode terminar de forma surpreendente.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade