Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

ARGENTINA

Marcha-atrás na Argentina

ANGOLA

O BALANÇO DO PASSADO PARA CONSTRUIR UM NOVO FUTURO

MOÇAMBIQUE

Os cinco dias que abalaram Moçambique

REINO UNIDO

BREXIT E O JOGO DO “EU SAIO MAS QUERO FICAR”

ÁFRICA

A doença do poder e os doentes no poder em Africa

ESTADOS UNIDOS

Guerras comerciais e desordem mundial

MUNDO

Memória Deixaram-nos em 2018

Rádio

Publicidade

+ Angola

Etiópia/UA: República Saharaui pede apoio a Angola

| Editoria + Angola | 26/01/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O ministro dos Negócios Estrangeiros da República Árabe Saharaui Democrática, Ould Salek, solicitou, quinta-feira, em Addis-Abeba, Etiópia, apoio de Angola na resolução do diferendo que opõe o seu país e o Reino de Marrocos.

 

Em declarações à imprensa, à margem da 32ª Sessão Ordinária da Comissão Executiva da União Africana (UA), aberta no dia 25 de janeiro (quinta-feira), disse que Angola tem boas relações com os Estados membros da UA e pode jogar papel determinante na resolução do problema.

Sublinhou que Angola continua a ser um Estado "líder" e influente em África, tendo felicitado os angolanos pela solidariedade e pelo apoio prestado ao povo do seu país.

Desde o fim da guerra civil, em 2002, Angola tem jogado um papel relevante na pacificação da Região dos Grandes Lagos, onde intervém com regularidade para a resolução de conflitos.

O país tem "funcionado" como uma "placa giratória" e é frequentemente consultado para transmitir a sua experiência de resolução de conflitos, fundamentalmente na República Democrática do Congo.

Entretanto, além de solicitar o apoio de Angola no processo de resolução do diferendo com Marrocos, Ould Salek exigiu que a UA tenha um papel mais activo na resolução do problema do Sahara Ocidental.

A República Árabe Saharaui Democrática reivindica soberania sobre o território do Sahara Ocidental, antiga colónia espanhola que, por sua vez, Marrocos reclama como parte do seu reino.

"Marrocos é agora membro da União Africana. Cremos que é dever da UA trabalhar para por fim à ocupação de Marrocos ao território da República Árabe Saharaui", declarou.

Na perspectiva do seu país, Marrocos "ocupa ilegalmente o território do Sahara Ocidental", desde 1976, na sequência da retirada da antiga potência colonial, a Espanha.

Pediu que as Nações Unidas pressionem o Governo de Rabat (Marrocos) para respeitar as resoluções do Conselho de Segurança, tendo sublinhando que nenhum Estado africano deve colonizar um país irmão.

Afirmou que a comunidade internacional, tanto a ONU, quanto a União Europeia (EU) e a União Africana (UA) "não reconhecem a soberania de Marrocos sobre os territórios ocupados", daí apelar aos  marroquinos para "porem fim" a essa ocupação.

"África não pode tolerar que um país africano colonize outro. Trata-se de uma violação aos princípios fundamentais da UA", declarou o governante, que manifestou, por outro lado, interesse de reforçar a cooperação com Angola.

Afirmou que os laços de cooperação estão muito bem estruturados entre os dois Estados, tendo aventado a possibilidade de os Presidentes dos dois países manterem um encontro de trabalho, à margem da 30ª Sessão da Ordinária da Conferência dos Chefes de Estado e de Governo da UA.

A cimeira decorre de 28 a 29 desse mês, em Addis-Abeba, tendo como lema central a corrupção.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade