Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Abril de 2018

MIANMAR

Rohingyas, vítimas da História e dos jogos de influência na Ásia

CHINA

A China e o futuro

ANGOLA

Novo Presidente, vida nova?

BRASIL

O país enfrenta 12 meses turbulentos

Rádio

Publicidade

Economia

MINFIN e BAD assinam projecto de financiamento para o sector agrícola em Cabinda

| Editoria Economia | 27/02/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

MINFIN e BAD assinam projecto de financiamento para o sector agrícola em Cabinda

 

O Ministro das Finanças e o Representante do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) em Angola assinaram no dia 16 de Janeiro, em Cabinda, um acordo de financiamento destinado ao Projecto de Desenvolvimento das Cadeias de Valor Agrícola para esta província.

 

Trata-se de um projecto avaliado em USD 123, 15 milhões, no quadro das cinco prioridades definidas pelo presidente do BAD e alinhado aos pilares da nova estratégia da instituição bancária para Angola, referente ao período 2017-2021.

O acordo visa apoiar o crescimento inclusivo, através da transformação da agricultura e do desenvolvimento de infra-estruturas económicas sustentáveis em particular nos sectores de energia e transportes.

O aumento da segurança alimentar e nutricional e dos rendimentos dos agricultores por via do aumento da produção agrícola e da criação de cadeias de valor, assim como a geração de rendimentos para as pequenas e médias empresas envolvidas no abastecimento, produção, transformação, armazenamento e comercialização de produtos seleccionados ligados a diferentes culturas alimentares, pesca e horticultura constam igualmente dos objectivos deste projecto.  

Segundo o Ministro das Finanças, trata-se de um evento especial por acontecer na senda da visita do Presidente da República a província.

“Este projecto insere-se na materialização da estratégia de repasse de financiamentos do sector público ao sector produtivo, e irá contribuir para a diversificação da economia, criando alternativas de desenvolvimento económico e social”, disse.

 

Archer Mangueira esclareceu ainda que o mesmo irá ajudar a reduzir o nível da taxa de desemprego que se assiste na província.

 

O representante do BAD, Joseph Ribeiro, informou por sua vez que o projecto está alinhado com as prioridades do banco, no tocante à estratégia para Alimentar África tendo como pilares o crescimento inclusivo através da transformação agrícola e o apoio ao desenvolvimento de infra-estruturas sustentáveis.

 

Joseph Ribeiro, salientou que um dos objectivos do projecto é melhorar os meios de subsistência dos agricultores rurais em termos de segurança alimentar, geração de renda e criação de riqueza, através do aumento da produção agrícola e da adição de valor em produtos chaves seleccionados.

Eugénio Laborinho, actual Governador de Cabinda mostrou-se satisfeito com a iniciativa, uma vez que o referido projecto abre uma nova era no que tange a potenciação da produção agrícola de Cabinda que vivia dificuldades de acesso ao crédito bem como aos respectivos inputs. O projecto será implementado nos quatro municípios da província e irá beneficiar directamente 51 mil camponeses e pescadores associados em cooperativas.

Além do programa integrado de desenvolvimento agrícola e rural, aquele governante confessou ser de seu interesse continuar a trabalharem em conjunto com o BAD para a concretização de outros projectos nos domínios da madeira, cacau, palmar, café, mandioca,  batata rena, batata-doce, entre outros.

 

Recorde-se que este projecto está inserido no Programa de Investimentos Públicos (PIP) do Ministério da Agricultura e Florestas e segundo o titular da pasta, Marcos Nhunga, irá aportar valências para incentivar a agricultura familiar.

 

 “Esse projecto vai beneficiar todos municípios da província de Cabinda, como cadeia de valor, desde a produção até ao processamento, enquadrando mais de 50 mil famílias que habitam nos quatro municípios e vai envolver mais de 15 empresas de pequena, média e grande dimensão e incentivar a agricultura familiar”.

O ministro da agricultura recordou também que o Presidente da República quando esteve na província há dois meses prometeu ao povo de Cabinda o engajamento pessoal na resolução dos problemas desta província e que passados dois meses estão a “passar da palavra a acção”.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade