Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2019

ÁFRICA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA EM ÁFRICA, UMA BOMBA AO RETARDADOR

ÁFRICA

O PARADIGMA PARTICULAR DA DEMOGRAFIA VERSUS DESENVOLVIMENTO

ANGOLA

EXPLOSÃO DEMOGRÁFICA UMA BOMBA DE EFEITO RETARDADO

EUROPA

O PESADELO DEMOGRÁFICO QUE ASSOMBRA A EUROPA

MOÇAMBIQUE

POR ALGUNS DÓLARES MAIS

MUNDO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS PODEM ENGENDRAR “APARTHEID GLOBAL”

VENEZUELA

O CAPCIOSO RELATÓRIO BACHELET

ÁFRICA

RUMO A UMA ÁFRICA INTEGRADA E PRÓSPERA

Política

Peritos organização armas químicas chegam ao Reino Unido

| Editoria Política | 20/03/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Chegaram hoje a Londres os peritos internacionais para passar a pente fino o caso do envenenamento em território britânico de um ex-agente duplo russo Sergei Skripal, condenado em 2006 por revelar a identidade de outros agentes russos.

A  pedido das autoridades britânicas, chegou hoje ao Reino Unido uma equipa de peritos da Organização para a Proibição de Armas Químicas.

Esta organização internacional é responsável pela fiscalização deste tipo de arsenal e os peritos vão ter acesso ao material que está no laboratório militar de Porton Down para atestar de forma independente as amostras recolhidas.

O objectivo é confirmar se na origem do ataque ao agente duplo Sergei Skripal e à filha Yulia está o agente neurotóxico novichok, conhecido por ter sido desenvolvido pelos serviços secretos russos nos anos 70 e 80

Os resultados não deverão ser conhecidos antes no final do mês.

Hoje, os ministros dos negócios estrangeiros da União Europeia manifestaram solidariedade com o governo britânico.

Mas a grande questão está em saber se mesmo que a teoria de que Moscovo é responsável seja confirmada, se Vladimir Putin vai aceitar que lhe seja apontado o dedo.

O recém reeleito presidente russo já disse que se não forem encontradas provas concretas, espera que Londres apresente um pedido de desculpas.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade