Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Abril de 2018

MIANMAR

Rohingyas, vítimas da História e dos jogos de influência na Ásia

CHINA

A China e o futuro

ANGOLA

Novo Presidente, vida nova?

BRASIL

O país enfrenta 12 meses turbulentos

Rádio

Publicidade

Saúde

Tuberculose soma mortalidade em Angola

| Editoria Saúde | 27/03/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

 

Neste sábado, 24 de Março, as Nações Unidas marcou o Dia Mundial da Tuberculose com o tema "Procuram-se: líderes para um mundo sem tuberculose".

 

A tuberculose causa em torno de cinco mil mortes por dia em todo o mundo. São mais de 1, 4 milhão de pessoas que foram contaminadas, 1,8 milhão de pessoas que perdem a vida, todos os anos, para a doença. Os dados constam no último relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a tuberculose, com base no ano de 2016.

 

Em alusão a data, a direcção do Ministério da Saúde Luta de Combate à Tuberculose, realizou um seminário, onde o secretário de Estado para a Saúde Pública, José da Cunha, informou que a OMS considera que Angola tem um quadro eminente da tuberculose. Desde 2015 é a terceira causa de morte no país, depois dos acidentes de viação, com 1.373 óbitos de um total de 58.619 casos, em 2017 registou-se 51.805 novos casos de malária, dos quais 13% são crianças menores de 15 anos.

 

Segundo o coordenador do Programa Nacional de Combate à Tuberculose, Ambrósio Dissadidi, em Angola os casos esperados anualmente da doença variam entre os 90 a 100 mil novos casos.

 

"Mas nunca chegamos a atingir estes números, nós estamos à volta dos 60 mil casos, o que representa os dois terços dos casos esperados para Angola", disse o profissional de saúde, em declarações à RNA.

 

Ambrósio Dissadidi, referiu que a tuberculose pulmonar é a mais preocupante em Angola, constitui um problema de saúde pública.

 

“No país existem 133 unidades hospitalares que fazem o diagnóstico e o tratamento, localizados em 111 municípios, pelo que o novo Hospital Sanatório de Luanda, a ser reabilitando ainda este ano, deverá ser um centro de referência nacional para todas as patologias respiratórias” afirmou Ambrósio Dissadidi.

 

O Ministério da Saúde, explica que o OGE 2018, não arrecada 50% das necessidades do programa de combate à tuberculose, e esclarece que a luta contra a tuberculose é um combate contra a pobreza e contra as desigualdades sociais e deve contar com a participação de todos. Segundo as autoridades sanitárias afirmam que o crescimento da doença a nível do país está associado às condições de habitabilidade, à fome e à desnutrição,

 

A agência da ONU diz que “apesar de progressos significativos nas últimas décadas, a tuberculose continua a ser a maior causa infecciosa de mortes em todo o mundo, causando a perda de 4,5 mil vidas todos os dias.”  Segundo a agência, “a emergência de tuberculose resistente a medicamentos representa uma grande ameaça de saúde e coloca em perigo todos os ganhos feitos nesta luta.”

 

OMS, criou em 1982, o Dia Mundial do Combate à Tuberculose, em homenagem aos 100 anos da descoberta do vírus bacilo causador da doença, ocorrido em 24 de Março de 1882, pelo médico  Robert Koch.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade