Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

CONGO RD

RDC sofre com o surto de ébola

ESTADOS UNIDOS

El Niño estará de volta em 2019

ANGOLA

Angola defende que UA ‘precisa de estar à altura dos anseios da população’

CONGO RD

Ébola na RDC à beira de um avanço no tratamento

ANGOLA

PNUD financia projectos de resiliência à seca em Angola

ÁFRICA DO SUL

Pravin Gordhan apresenta queixa contra Julius Malema

ESTADOS UNIDOS

ESTADOS UNIDOS DEMOCRATAS RECUPERAM CÂMARA DOS REPRESENTANTES

COMORES

FRACASSO DA REBELIÃO NA ILHA DE ANJOUAN

Rádio

Publicidade

Política

Angola Celebra 16 Anos de Paz e Reconciliação Nacional

| Editoria Política | 05/04/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Quarta-feira, 4 de Abril de 2018,data inesquecível para os angolanos, é o 16.º aniversário da conquista da paz definitiva em Angola, um acordo assinado na cidade do Luena, entre o poder executivo (MPLA) e a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), que resultou no calar das armas um conflito vivido desde 1975.

Neste ano, a província de Malanje foi o lugar escolhido para a celebração do Dia da Paz e da Reconciliação Nacional.

A actividade foi dirigida pelo vice-presidente da República, Bornito de Sousa, onde reconfirmou que a prioridade do país são as eleições autárquicas antevistas para 2020.

A consolidação da paz e da reconciliação nacional são premissas fundamentais de toda a acção prática do MPLA, cujas raízes assentam na longa luta de libertação nacional contra o colonialismo português e contra as agressões militares externas, razão porque continuará a bater-se pelo aprofundamento da inclusão política e social, para que Angola cresça de modo equilibrado, harmonioso e com equidade.

Neste sentido, a actual realidade de paz definitiva em Angola coloca ao MPLA e a todos os angolanos a responsabilidade da sua preservação e contínua consolidação, visando a garantia do normal desenvolvimento económico e social do País e a satisfação das necessidades sempre crescentes dos cidadãos, acrescentou Bornito de Sousa.

Na celebração do Dia da Paz e da Reconciliação Nacional, a reverência e a honra foi atribuída ao Arquitecto da Paz, José Eduardo dos Santos, Presidente do MPLA, que nos momentos mais desfavoráveis da história recente de Angola, soube manter a tranquilidade, impondo a vitória do bem sobre o mal e, desta forma, propiciar, com o seu alto sentido patriótico, uma genuína reconciliação entre irmãos, outrora desunidos.

 Recorde que em Angola, a guerra chegou ao fim no dia 22 de Fevereiro de 2002, após a morte, em combate, de Jonas Savimbi, líder histórico e fundador da UNITA. Durante praticamente três décadas, morreram cerca de meio milhão de angolanos, entre militares e civis.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade