Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

ARGENTINA

Marcha-atrás na Argentina

ANGOLA

O BALANÇO DO PASSADO PARA CONSTRUIR UM NOVO FUTURO

MOÇAMBIQUE

Os cinco dias que abalaram Moçambique

REINO UNIDO

BREXIT E O JOGO DO “EU SAIO MAS QUERO FICAR”

ÁFRICA

A doença do poder e os doentes no poder em Africa

ESTADOS UNIDOS

Guerras comerciais e desordem mundial

MUNDO

Memória Deixaram-nos em 2018

Rádio

Publicidade

Política

Angola perde o nacionalista Jaka Jamba

| Editoria Política | 05/04/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Funeral do nacionalista Armelindo Jaka Jamba foi realizado hoje, em Luanda, no Cemitério Santa Ana. O seu passamento físico ocorreu na madrugada deste domingo, 1 de Abril, vítima de acidente vascular cerebral.

Em vida, Jaka Jamba exerceu diversas funções, foi deputado da UNITA, historiador e membro da Academia de Letras de Angola.

O malogrado era formado em Filosofia, pela Universidade Clássica de Lisboa, e ostentava, também, um Doutoramento em História.

Almerindo Jaka Jamba nasceu a 21 de março de 1949, é historiador e doutorado em filosofia. Ingressou ao partido político angolano em 1972.

Em 1975 foi nomeado secretário de Estado para a Informação, pelo líder da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), Jonas Savimbi, no primeiro governo de transição em Angola, que englobava vários movimentos independentistas.

Em 1992 foi nomeado segundo vice-presidente da Assembleia Nacional e porta-voz do grupo parlamentar da UNITA. Fez também parte da comissão constitucional de Angola e é hoje um dos mais antigos filiados da UNITA.

Foi vice-presidente da Assembleia Nacional (1997-2005) e embaixador na Missão Permanente de Angola junto do Organismo das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em Paris (2005- 2008).

No partido UNITA, já ocupou vários cargos de destaque, tais como os de secretário de Educação, Informação, dos Negócios Estrangeiros, da Cultura e Herança Africana.

Jaka Jamba fez parte da Comissão Constitucional de Angola, em representação do maior partido da oposição angolana, e foi um dos mais antigos filiados da UNITA.

 

 

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade