Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Junho de 2018

MIANMAR

Rohingyas, vítimas da História e dos jogos de influência na Ásia

CHINA

A China e o futuro

ANGOLA

Novo Presidente, vida nova?

BRASIL

O país enfrenta 12 meses turbulentos

Rádio

Publicidade

Empresas

Inalca apresenta projecto centro agro-alimentar

| Editoria Empresas | 12/04/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Mais de 150 Milhões de dólares é o orçamento da construção do projecto Centro Nacional Agro-alimentar (CNA)- PECKINALCA, que o grupo Cremonini representado pela Inalca, irá construir em 2019 na zona urbana metropolitana de Luanda, junto a Centralidade do Kilamba, e criará mais de mil postos de trabalho. 

A informação foi avançada ontem, 11 de Abril, pelo presidente do grupo INALCA E Cremonini Grup, Cavaliere Luigi Cremonini, na apresentação do projecto Centro Nacional Agro-alimentar (CNA)- PECKINALCA, no hotel Epic Sana, na sala Angola I, realizado pelo mesmo grupo.

As instalações do projecto fianciado pelo Banco de Desenvolvimento da Itália; cobrirá uma área de 192.155,00 mil metros quadrados, 92 dos quais destinados à construção do centro nacional agro-alimentar para o mercado angolano.

De acordo com apresentação feita pelo Cavaliere Luigi Cremonini, falou da liderança da Inalca no sector da carne bovina e distribuição alimentar na Europa e o contributo que a Inalca Angola tem dado no país desde 1980 na distribuição de produtos alimentares.

O líder do Grupo explicou que o centro terá um stock estratégico necessário para a reserva nacional de produtos essenciais para afirmar a segurança alimentar da população: como cereais, carne, farinha, frutas, legumes, óleo, peixe. O objectivo principal é estimular a produção nacional e reduzir as importações em Angola.

Cremonini, deixou claro que o êxito deste desafio depende particularmente do apoio do Governo angolano, que precisa criar incentivos dirigidos aos verdadeiros produtores e investidores, com vista a acelerar o processo da produção interna.

Segundo o Secretário do Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Carlos Alberto Jaime Pinto, reiterou a importância do surgimento do CNA no território africano. Felicitou ainda a iniciativa do sector privado, salientado a cooperação entre os dois país, e a disponibilidade do executivo angolano a dar suporte necessário para a concretização do projecto.

“Ao longo dos últimos anos, Angola importou acima de 300 mil toneladas de carne bovino e frango, este projecto do grupo Cremonini representado pela Inalca Angola, irá contribuir de forma significativa para a redução nas importações”, disse o Secretário do Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Carlos Alberto Jaime Pinto.

A cerimonia foi apresentada pelo jornalista Mario Vaz, e contou com a presença do embaixador da Itália acreditado em Angola, Claudio Miscia, que se mostrou disponível a cooperar com as iniciativas empresariais dos dois países e continuar a reforçar as relações bilaterais entre os dois povos. E com a Directora da Cassa Depositi e Prestiti-Banco Italiano de Desenvolvimento, Antonella Baldino, que afirmou a prioridade com que o governo Italiano pretende em cooperar com Angola no sector alimentar e os instrumentos que o órgão que dirige dispõe para dar suporte ao projecto em curso.

Há 40 anos em Angola a Inalca, já empregou mais de 100 trabalhadores, e seu investimento está acima dos 50 milhões de dólares.

O grupo Cremonini, representado pela Inalca, foi fundado em 1963 e constitui-se num dos grupos mais importantes do sector alimentar na Europa, actuando em três áreas de negócios: produção, distribuição e restauração, opera em de 75 países do mundo; em África está em: Angola, Argélia, Congo, Congo Kinshasa, Costa do Marfim, Moçambique.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade