Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Julho de 2018

MUNDO

Agricultura: Os desafios do século XXI

MIANMAR

Rohingyas, vítimas da História e dos jogos de influência na Ásia

CHINA

A China e o futuro

ANGOLA

Novo Presidente, vida nova?

BRASIL

O país enfrenta 12 meses turbulentos

Rádio

Publicidade

Economia

FMI prevê crescimento económico de Angola em 2018/2019

| Editoria Economia | 18/04/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Fundo Monetário Internacional (FMI), prevê para Angola um crescimento de 3,4%  em 2018/19, devendo acelerar o seu crescimento em 3,7%. O que demonstra uma melhoria sustentada desde 2017, ano em que os países da África subsariana cresceram em média, 2,8%.

A informação consta no Relatório de Previsões Económicas (Wold Economic Outlook), que foi divulgado hoje, 18 de Abril, na sede da instituição em woshngton.

Face à realidade, desde o segundo semestre de 2014, o governo angolano pediu ajuda do FMI, para um programa a custo zero, denominado “Instrumento de Coordenação de Políticas” (Policy Coordination Instrument-PCI), para o apoio na efectividade das medidas contidas nas acções de estabilização macroeconómica que tiveram início em Janeiro do ano em curso.

Segundo a nota de imprensa do Ministério das Finanças, esta entidade garante que se fez uma selecção de várias medidas de administração conjuntural para afrouxar os choques do custo do petróleo, designadamente de carácter fiscal, financeira e mercantil, examinando a essência de outras acções estruturais e institucionais para o reforço da resiliência financeira e económica do país.  

Este programa servirá para o aumento da credibilidade externa com efeitos positivos na captação de investimento directos estrangeiro.

De acordo com o FMI, que esta semana realiza os Encontros da Primavera, a recuperação económica em Angola baseia-se essencialmente na subida dos preços do petróleo face aos baixos valores dos últimos anos, que “aumentam o rendimento disponível e melhoram o sentimento económico”.

As reuniões de Primavera terminam no domingo, 22 de Abril, em Washington, e Angola participa com uma delegação chefiada pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira, e que integra também o governador do Banco Nacional de Angola, José Massano, entre outros.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade