Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

ARGENTINA

Marcha-atrás na Argentina

ANGOLA

O BALANÇO DO PASSADO PARA CONSTRUIR UM NOVO FUTURO

MOÇAMBIQUE

Os cinco dias que abalaram Moçambique

REINO UNIDO

BREXIT E O JOGO DO “EU SAIO MAS QUERO FICAR”

ÁFRICA

A doença do poder e os doentes no poder em Africa

ESTADOS UNIDOS

Guerras comerciais e desordem mundial

MUNDO

Memória Deixaram-nos em 2018

Rádio

Publicidade

Cultura

Um Intruso Dentro da Casa Branca

| Editoria Cultura | 27/04/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O livro do jornalista Michael Wolff, “Fogo e Fúria”, que o presidente americano Donald Trump, tentou por todos os meios legais impedir a sua publicação, veio a lume em língua portuguesa, estendendo ao longo de 360 páginas o testemunho íntimo de situações e personagens do interior da Casa Branca, acompanhando os primeiros 200 dias daquele que se tornou o mais controverso presidente da história americana.

O livro que certamente servirá de base para uma série da Netflix, começa com um jantar íntimo numa residência em Grenwich Village, pertencente a Roger Aisles, ex-presidente da Fox News, um conhecido simpatizante da extrema-direira americana, com Steve Bannon, atrasado e roupa desalinhada, quinze dias antes da tomada de posse de Trump. Para Aisles, o novo presidente eleito, não teria estrutura mental que correspondesse aos ideais que ele e Bannon, no seu Breitbart News, porfiavam há décadas. “Será que o play-boy bilionário percebia verdadeiramente a causa populista dos trabalhadores?” Donald Trump, era o “Donald”, resumia Aisles, uma espécie de” rebelde sem causa” de quem tudo se podia esperar.

O livro possui o tom e narra episódios que serão um manancial para uma boa série televisiva da Netflix, onde se cruzam membros da família Trump, Melania a pimeira dama, Jared Kuschner e Ivanka (a Jarvanka), Proebius, o general Mattis (Mad dog), os inevitáveis maus da fita, pequenas conspirações entre grupos rivais, não faltando uma pitada de sexo, à boa maneira de Hollywood. Grotesco, mas real.

A série britânica Mounty Python fazia esforços de maior comedimento. E a procissão ainda vai no adro!...

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade