Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Julho de 2018

MUNDO

Agricultura: Os desafios do século XXI

MIANMAR

Rohingyas, vítimas da História e dos jogos de influência na Ásia

CHINA

A China e o futuro

ANGOLA

Novo Presidente, vida nova?

BRASIL

O país enfrenta 12 meses turbulentos

Rádio

Publicidade

Saúde

Médicos trabalham para conter Ebola na República Democrática do Congo

| Editoria Saúde | 08/08/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Cerca de nove mortes por Ebola estão confirmadas no novo surto que foi declarado no dia 1 de Agosto, na província de Kivu do Norte, afirmou ontem, o ministro da Saúde da RDC, Oly Ilunga Kalenga.

Especialistas em saúde identificaram pelo menos 966 casos suspeitos que já estão sob vigilância. Em colaboração com a Organização Mundial de Saúde (OMS), as autoridades do país criaram 12 equipas de vacinação.

O ministério da saúde daquele país iniciou hoje, 8 de Agosto, uma nova campanha de vacinação e está a usar a mesma estratégia para conter o surto anterior da província de Equateur, onde mais de 3.300 pessoas foram vacinadas. Este surto, a mais de 2.500 quilômetros de distância, teve 33 mortes confirmadas pelo Ebola.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou ter cerca de 3.000 doses de vacina para esta campanha. Especialistas em saúde na cidade mais próxima do novo surto, Beni, criaram “cadelas de frio” para manter as vacinais na temperatura ideal de 70 graus negativos.

Segundo a OMS este surto representa um “desafio particular”, pelo facto da região ser uma zona de guerra, com vários grupos armados ativos e dezenas de milhares de pessoas deslocadas.

O Congo tem lidado com o Ebola há décadas e este é o seu décimo surto do vírus. Identificado pela primeira vez no país em 1976. Um vírus que salta de animais para humanos, não tem tratamento específico e pode ser fatal em até 90% dos casos.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade