Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Agosto de 2018

ÁFRICA

A revolução dos arquitetos africanos

EGITO

CAIRO, A CIDADE QUE MAIS CRESCE NO MUNDO

ÁFRICA

EXPLOSÃO URBANA EM ÁFRICA: SEUS DESAFIOS E OPORTUNIDADES

MUNDO

Agricultura: Os desafios do século XXI

MIANMAR

Rohingyas, vítimas da História e dos jogos de influência na Ásia

CHINA

A China e o futuro

ANGOLA

Novo Presidente, vida nova?

BRASIL

O país enfrenta 12 meses turbulentos

Rádio

Publicidade

Sociedade

Nigéria com aldeia onde homens e mulheres falam línguas diferentes

| Editoria Sociedade | 23/08/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Em ubang, uma comunidade agrícola no sul da Nigéria, homens e mulheres falam línguas diferentes. Eles veem essa diferença singular como “uma bênção de Deus”, mas à medida que mais jovens partem para pastos mais verdes e a língua inglesa se torna mais popular, há preocupações de que ela não sobreviva, relata Yemisi Adegoke, numa entrevista à BBC.

Não está claro que proporção de palavras são diferentes nas duas línguas e não há um padrão, como se as palavras são comumente usadas, relacionadas ou ligadas a papéis tradicionais para homens ou mulheres.

“É quase como dois léxicos diferentes. Há muitas palavras que homens e mulheres têm em comum e outras que são totalmente diferentes do sexo. Elas não soam parecidas, não têm as mesmas letras”, diz o antropólogo Chi Chi Undie, que estudou a comunidade, acrescentando que as diferenças são muito maiores do que por exemplo, versões inglesas e americanas do inglês.

Segundo um morador de Ubang, Oliver Ibang, homens e mulheres são capazes de se entender perfeitamente, isso porque os meninos crescem falando a língua feminina, pois passam a maior parte de sua infância com suas mães e outras mulheres. “Aos 10 anos de idade, espera-se que os meninos falem a “língua masculina”, diz ele.

Oliver Ibang explica ainda que há um estágio que o menino alcançará e ele descobre que não está a usar sua linguagem correta. Ninguém lhe dirá que ele deveria mudar para a língua masculina.

“ Quando ele começa a falar a língua dos homens, você sabe que a maturidade está entrando nele. Se uma criança não muda para o idioma correto até uma certa idade, ela é considerada “anormal”, diz Ibang.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade