Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Novembro de 2018

ESTADOS UNIDOS

ESTADOS UNIDOS DEMOCRATAS RECUPERAM CÂMARA DOS REPRESENTANTES

COMORES

FRACASSO DA REBELIÃO NA ILHA DE ANJOUAN

CONGO RD

DESTAQUE RD CONGO

AFEGANISTÃO

O DILEMA AMERICANO DA RETIRADA SEM GLÓRIA

NOVA CALEDÓNIA

A colonização em questão na Nova Caledónia

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

Rádio

Publicidade

Política

Kofi Annan terá um funeral de Estado na sua terra natal

| Editoria Política | 29/08/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU e Nobel da Paz, vai ser enterrado no dia 13 de Setembro com honras de Estado no Ghana, seu país  natal, anunciou na passada sexta-feira, 24, o Presidente ghanense, Nana Akufo-Addo.

O Governo ghanense fica encarregado das cerimónias e o corpo de Annan vai ser enterrado num novo cemitério militar da capital do país, Accra. O Presidente Akufo-Addo afirmou que esse cemitério é considerado “o lugar mais apropriado para que Kofi Annan descanse”.

“É um funeral de Estado, portanto a responsabilidade das regras é do Estado ghanense. Será um acontecimento muito importante para o nosso país e espera-se a presença de inúmeros Chefes de Estado e autoridades mundiais”, informou o Presidente, que disse ter mantido contacto com a família do ex-diplomata.

A ONU também prepara homenagens paralelas. Para o Presidente do Ghana, Kofi Annan foi um dos homens mais ilustres da sua geração. “Ele era como um irmão mais velho para mim. Deu-me muitos conselhos de como lidar com questões sensíveis, era, portanto, alguém importante na minha vida”, garantiu ainda Akufo-Addo.

Annan morreu no dia 18 de Agosto do ano em curso após uma “breve doença” num hospital da Suíça, segundo anunciou a família. O primeiro líder subsaariano da ONU entrou na organização em 1962 e chegou à Secretaria-Geral em 1997, função que desempenhou até 2006. 
Em 2001, recebeu o prémio Nobel da Paz partilhado com a ONU pelo “trabalho por um mundo mais organizado e pacífico”.

Após o anúncio da morte de Annan, na véspera do seu 80º aniversário, o Ghana declarou uma semana de luto nacional, e todas as bandeiras do país  a meia haste.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade