Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Outubro de 2018

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

ÁFRICA

RELGIÕES E SEITAS EM ÁFRICA, O NOVO ÓPIO DO POVO?

ÁFRICA

Condições do FMI na África atual

MUNDO

Odebrecht e Microsoft firmam acordo de cooperação científica e tecnológica

ÁFRICA

PAÍSES FALHADOS, OU ESTADOS FRÁGEIS, EIS A QUESTÃO NÃO SÓ AFRICANA

BRASIL

Entrevista Celso Marcondes - “O Brasil deve retomar sua política externa de integração”

Rádio

Publicidade

EXPLOSÃO URBANA EM ÁFRICA: SEUS DESAFIOS E OPORTUNIDADES

| Editoria | 10/09/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Por Pedro Vila Nova

Vagas de pessoas migram do campo para as cidades que não estão preparadas para as receber. É assim em África onde se estima que 60% da sua população viverá nas zonas urbanas. Soam sinais de alarme: sem industrialização e com desemprego, a qualidade de vida nas cidades será tão precárias que tornarão insustentáveis a vida nas principais cidades dos países africanos

O movimento de urbanização em África ocorre com uma velocidade vertiginosa. A taxa de urbanização cresceu de 15% em 1960 para 40% em 2010, com uma estimação de 60% em 2015. Na próxima década, mais de metade da população africana viverá nas grandes cidades que se tornarão, cada vez mais, o espaço de novas narrativas de uma população desenraizada partilhando novas mitologias suburbanas, com novos sonhos na esperança de uma vida melhor. As grandes cidades africanas representarão uma espécie de “big apple” onde todos os “condenados da terra” querem mordiscar o seu pedaço.

Mas, com diferenças económicas e regionais e diferentes opiniões sobre o tema, uma questão parece incontornável, a saber: o enorme desafio de gestão que esta migração representa ao nível político, económico e de infra-estruturas capazes de fixar esta nova população em termos satisfatórios e potencializar o desenvolvimento social.

Recentes opiniões relacionadas com a geografia humana mostram que a prosperidade económica só é compatível com determinados rácios de densidade urbana. Um crescimento harmonioso e sustentável necessita de uma logística de serviços com mais-valia, sistema urbano eficiente e rede de transportes com ligações ao mercado regional e global.

No largo espectro de modelos de desenvolvimento, a urbanização em África tem várias características peculiares. Se bem que África e Ásia partilhem as mesmas taxas de migração urbana, o PNB africano foi um terço dos países asiáticos em 2012, com baixos índices de literacia e desenvolvimento humano, com infra-estruturas muito aquém das grandes metrópoles asiáticas.

 

(Leia o artigo na integra na edição nº 131 da Revista África 21, mês de Agosto)

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade