Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Fevereiro de 2019

ÁFRICA

ELEIÇÕES E DEMOCRACIA EM ÁFRICA A CONTROVÉRSIA SOBRE UM MODELO QUE SE IMPÕE

ÁFRICA

Calendário das Eleições em África 2019

ÁFRICA

O REFINAMENTO DOS REGIMES AUTORITÁRIOS NÃO É SÓ COISA DE AFRICANOS

CONGO RD

AS ELEIÇÕES NA RD CONGO AS PRECIOSAS LIÇÕES QUE A RD CONGO APRENDEU COM A CÔTE D’IVOIRE

ÁFRICA

A África é segunda no ranking mundial da desflorestação

EGITO

África quer tornar comércio intra-africano uma marca

ÁFRICA

«Guerra contra o terrorismo islâmico em Africa»: Anatomia de um fracasso

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

Rádio

Publicidade

Política

Resistência na casa Branca contra Trump

| Editoria Política | 02/10/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Por Pedro Vila Nova

Um artigo de opinião anónimo publicado no prestigiado “New York Times”, algo excepcional na imprensa e que é atribuído a uma alta personalidade da administração Trump, desencadeia um autêntico vendaval político ao revelar que existe um grupo organizado de altos quadros da Casa Branca a “fazer resistência” secreta para contrariar as decisões mais perigosas do presidente americano.

Sob o título “Eu faço parte da Resistência Interna da Casa Branca”, o misterioso autor confessa que alguns membros do executivo de Trump se sentem tão inconformados com o seu comportamento, que pensaram de pedir a sua incapacitação por razões mentais, mas recuaram da decisão para não provocarem um caos constitucional.

“Trabalho para o presidente, mas tal como outros colegas, prometi boicotar partes da sua agenda e suas piores inclinações”, afirma a certo passo e continua: ”A raiz do problema é amoralidade política”, acusando o presidente de “superficial, ineficaz, conflituoso e impulsivo”, e para justificar o anonimato, remata: ”Os americanos devem saber que ainda há adultos em casa”.

Ao ser atribuída a autoria do artigo a um alto funcionário da equipe Trump, e que por agora não se quer denunciar (só New York Times está na posse do segredo), seguiu-se um movimento quase cómico e melodramático “Não fui eu, Não fui eu” de vários altos responsáveis da Casa Branca, a começar pelo vice-presidente Mike Pence, o secretário de estado Mike Pompeu, entre outras destacadas figuras.

(Leia o artigo na integra na edição nº 132 da Revista África 21, mês de Setembro)

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade