Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

CONGO RD

RDC sofre com o surto de ébola

ESTADOS UNIDOS

El Niño estará de volta em 2019

ANGOLA

Angola defende que UA ‘precisa de estar à altura dos anseios da população’

CONGO RD

Ébola na RDC à beira de um avanço no tratamento

ANGOLA

PNUD financia projectos de resiliência à seca em Angola

ÁFRICA DO SUL

Pravin Gordhan apresenta queixa contra Julius Malema

ESTADOS UNIDOS

ESTADOS UNIDOS DEMOCRATAS RECUPERAM CÂMARA DOS REPRESENTANTES

COMORES

FRACASSO DA REBELIÃO NA ILHA DE ANJOUAN

Rádio

Publicidade

Sociedade

Angola aposta em políticas públicas para maior inclusão digital

| Editoria Sociedade | 02/10/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Por José A. Rangel

Inclusão digital é o nome de guerra do processo de democratização do acesso às tecnologias da informação e comunicação (TIC), de forma a permitir a inserção de todos na sociedade da informação. Para tal, Angola tem promovido políticas institucionais de inclusão digital e de acesso às TIC para dinamizar o desenvolvimento socioeconómico. Em África, o país está nos lugares cimeiros e possui bastante experiência no ramo.

O braço armado da política digital angolana é o Instituto Nacional de Fomento da Sociedade da Informação (INFOSI) que está incubido de criar unidades de capacitação de modo a formar, nas áreas de tecnologia, quadros da administração pública. Ele tem uma agenda de aplicação de programa de software de fonte livre e aberta para a administração central e local do Estado.

Angola está a viver um processo tecnológico cujos resultados ainda são de difícil percepção na sua totalidade e complexidade. Integrar, coordenar e fomentar acções para a utilização das TIC, de forma a contribuir para a inclusão social de todos angolanos na nova sociedade e, ao mesmo tempo, contribuir para que a economia do país tenha condições de competir no mercado africano é a aposta. Inserir-se na sociedade da informação significa usar habilidades na criação, geração e disseminação de novos conhecimentos. É um processo de criação, a cada dia, de “novas fontes de produtividade demandadas pelo mercado por exigência da globalização”

A rede angolana de telecomunicações conta actualmente com 20 mil km de fibra óptica, entre investimentos públicos e privados. “Angola é actualmente um dos países africanos mais promissores no que diz respeito às Tecnologias de Informação e Transformação Digital”, reconhece Pedro Afonso, CEO da Axians Portugal. Ele justifica com o facto de o país atravessar uma fase dinâmica em todos os sectores do seu desenvolvimento – Economia, Turismo, Educação e outros. “Esse dinamismo tem obrigado as empresas a apostarem nas TIC e na Transformação Digital como forma de se destacarem nos respectivos segmentos de actividades”, conclui.

(Leia o artigo na integra na edição nº 132 da Revista África 21, mês de Setembro)

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade