Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

CONGO RD

RDC sofre com o surto de ébola

ESTADOS UNIDOS

El Niño estará de volta em 2019

ANGOLA

Angola defende que UA ‘precisa de estar à altura dos anseios da população’

CONGO RD

Ébola na RDC à beira de um avanço no tratamento

ANGOLA

PNUD financia projectos de resiliência à seca em Angola

ÁFRICA DO SUL

Pravin Gordhan apresenta queixa contra Julius Malema

ESTADOS UNIDOS

ESTADOS UNIDOS DEMOCRATAS RECUPERAM CÂMARA DOS REPRESENTANTES

COMORES

FRACASSO DA REBELIÃO NA ILHA DE ANJOUAN

Rádio

Publicidade

ÁFRICA DE AMANHÃ - A grande aposta nas tecnologias de informação e comunicação

| Editoria | 02/10/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Por Amável Fernandes

O surgimento de grandes centros tecnológicos e dinâmicas comunidades high-tech em várias capitais africanas, de Dakar a Nairobi, passando por Lagos, Accra e Johannesburgo, modelam o futuro do século XXI e despertam a atenção das grandes multinacionais, que começam a investir naquele que se poderá tornar a breve trecho no maior mercado do mundo da era digital.

Segundo o Diagnóstico de Infra-Estruturas Nacionais de África (AICD) para o Banco Mundial, um estudo que se debruçou sobre 24 países africanos, os telefones fixos aumentaram 1,4 milhões para 8,1 milhões no ano de 2000, para subirem para 9,5 milhões em 2005, o que de certa maneira representa um avanço fabuloso no mercado das comunicações, mas que está muito aquém da autêntica explosão que se regista no mercado das comunicações em fio, que passa no mesmo período de 10 milhões para 110 milhões de portadores de telefones móveis.

Em 2006, 57% dos africanos viviam em zonas cobertas por rede móvel, hoje estima-se em quase 85% da população viva no raio de cobertura móvel sem fios, o que mudam as dinâmicas económicas e sociais, redesenhando novos mapas de interactividade no continente e no mundo.

Para milhões de jovens africanos sem emprego, a paixão pelas novas tecnologias, a revolução numérica em África, oferece uma enorme possibilidade de intervir no mercado de emprego no campo da criação e da inovação empresarial.

As Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) oferecem formidáveis oportunidades à juventude africana”, afirma Mohamed Alfi, director geral da Sawari Ventures, uma sociedade de capital de risco, que aposta nas novas tecnologias, citado no Afrique Renouveau. “O desenvolvimento de novas aplicações, é o único sector que um investimento de mil dólares pode reportar um milhões de dólares”.

(Leia o artigo na integra na edição nº 132 da Revista África 21, mês de Setembro)

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade