Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Fevereiro de 2019

ÁFRICA

ELEIÇÕES E DEMOCRACIA EM ÁFRICA A CONTROVÉRSIA SOBRE UM MODELO QUE SE IMPÕE

ÁFRICA

Calendário das Eleições em África 2019

ÁFRICA

O REFINAMENTO DOS REGIMES AUTORITÁRIOS NÃO É SÓ COISA DE AFRICANOS

CONGO RD

AS ELEIÇÕES NA RD CONGO AS PRECIOSAS LIÇÕES QUE A RD CONGO APRENDEU COM A CÔTE D’IVOIRE

ÁFRICA

A África é segunda no ranking mundial da desflorestação

EGITO

África quer tornar comércio intra-africano uma marca

ÁFRICA

«Guerra contra o terrorismo islâmico em Africa»: Anatomia de um fracasso

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

Rádio

Publicidade

Sociedade

Grupos armados mataram 90 pessoas em Moçambique

| Editoria Sociedade | 04/10/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Um total de 90 pessoas morreram e 67 ficaram feridas desde o início dos ataques protagonizados por grupos armados em aldeias da província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, em um ano. A informação foi avançada esta quinta-feira, 4 de outubro, pelo comandante-geral da polícia de Moçambique, Bernardino Rafael.

“ Os malfeitores, até neste momento, causaram a morte de 90 cidadãos moçambicanos e feriram 67 moçambicanos”, disse o comandante, acrescentando que os grupos armados demoliram um total de 1.605 casas em aldeias da província de Cabo Delgado.

Segundo o comandante-geral da PRM, as Forças de Defesa e Segurança moçambicana têm trabalhado para proteger as populações. No decorrer das acções detiveram 289 pessoas suspeitas de envolvimento nos ataques e destruíram três acampamentos dos grupos armados.

Os grupos que têm atacado as aldeias nunca fizeram nenhuma reivindicação nem deram a conhecer as suas intenções, mas investigadores sugerem que a violência está ligada a redes de tráfico de heroína, marfim, rubis e madeira.

Povoações distantes da província de Cabo Delgado, situada entre 1.500 a 2.000 quilómetros a norte de Maputo, têm sido atacadas por desconhecidos desde 05 de outubro de 2017, provocando um número ainda desconhecido de deslocados.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade