Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Setembro de 2018

ÁFRICA

ÁFRICA DE AMANHÃ - A grande aposta nas tecnologias de informação e comunicação

ANGOLA

Angola aposta em políticas públicas para maior inclusão digital

ANGOLA

Uma sucessão em dois actos

ESTADOS UNIDOS

Resistência na casa Branca contra Trump

ETIÓPIA

Etiópia: Abiy Ahmed, um primeiro-ministro chamado «revolução»

ÁFRICA DO SUL

África do Sul : O começo de uma segunda transição política

ÁFRICA

A revolução dos arquitetos africanos

EGITO

CAIRO, A CIDADE QUE MAIS CRESCE NO MUNDO

Rádio

Publicidade

Economia

Archer Mangueira tranquiliza credores chineses

| Editoria Economia | 10/10/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Após o Governo angolano formalizou nesta terça-feira, 9 de outubro, um novo pedido de financiamento às autoridades chinesa, o ministro das finanças de Angola, Archer mangueira, esclareceu que “parte dos 2 mil milhões de dólares que serão financiados pelo Governo da China servirão para a regularização da dívida com os credores chineses”, noticiou a ANGOP.

Archer Mangueira afirmou que este novo crédito servirá para amortização a médio e longo prazo da dívida acumulada de Angola para com a China, que já atingiu cerca de 23 mil milhões de dólares norte-americano nos últimos 20 anos.

Sem especificar a taxa de juros a aplicar no âmbito dessa nova linha de crédito e os termos do reembolso, Archer Mangueira fez saber que esse novo financiamento da China se destina à execução de projectos capazes de criar rendimentos para o país.

"Será destinado para financiar projectos que possam alavancar o sector produtivo, de tal maneira que possam, a médio e longo prazo, aumentar o volume de receitas, principalmente aquelas voltadas para a exportação", sublinhou o ministro das Finanças.

Segundo Archer Mangueira, já foram identificados vários projectos que beneficiarão dessa linha de crédito, designadamente nos sectores da construção, energia e águas e indústrias capazes de alavancar o sector produtivo.

A linha de crédito é parte de um acordo assinado entre o Ministério das Finanças de Angola e o Banco de Desenvolvimento da China (CDB), no quadro da visita de Estado do Presidente da República, João Lourenço, que termina hoje, 10, na capital da chinesa.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade