Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Outubro de 2018

CONGO RD

DESTAQUE RD CONGO

AFEGANISTÃO

O DILEMA AMERICANO DA RETIRADA SEM GLÓRIA

NOVA CALEDÓNIA

A colonização em questão na Nova Caledónia

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

ÁFRICA

RELGIÕES E SEITAS EM ÁFRICA, O NOVO ÓPIO DO POVO?

ÁFRICA

Condições do FMI na África atual

Rádio

Publicidade

Política

RCA: Exoneração do presidente do parlamento provoca tiroteio em Bangui

| Editoria Política | 29/10/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Em Bangui, capital da República Centro-Africana, vários tiroteios foram feitos no Domingo, 28 de Outubro, momentos depois de Karim Meckassoua ter sido exonerado do cargo de Presidente do parlamento.

Os disparos aconteceram por volta das 18h30, no bairro PK5,palco frequente de ataques violentos.

O parlamento de Bangui decidiu destituir Karim Meckassoua eleito pelo PK5, por 98 votos a favor contra 41 e uma abstenção, por este ser acusado de ter “confiscado dossiers essenciais para os deputados”, de acordo com o segundo vice-presidente da assembleia, Mathurin Dimbélet Makoé que tinha mencionado à imprensa, em meados deste mês uma “opacidade na gestão das finanças” do parlamento.

Centenas de pessoas saíram às ruas na terça-feira, posicionando-se entre o bairro PK5 e o quartel-general da MINUSCA - Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização da República Centro-Africana, para protestar contra o processo de destituição de Meckassoua.

O processo de destituição teve início em meados de outubro por uma petição, assinada por 95 dos 140 deputados. Steve Koba, presidente do grupo parlamentar Coração Unido, depois de votar disse “para que o Governo possa fazer o seu trabalho, é preciso que a estabilidade institucional seja preservada”.

Na terça-feira, 23 de outubro, durante os protestos, alguns manifestantes alertaram que caso Meckassoua fosse destituído, haveria a possibilidade de confrontos. No bairro PK5, centro económico da capital, várias milícias armadas estabeleceram os seus quartéis-generais, onde com frequência combatem entre si e com as forças armadas do país e da ONU.

Até ao início da próxima semana, será conhecido o novo presidente do parlamento da República Centro-Africana.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade