Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Novembro de 2018

ESTADOS UNIDOS

ESTADOS UNIDOS DEMOCRATAS RECUPERAM CÂMARA DOS REPRESENTANTES

COMORES

FRACASSO DA REBELIÃO NA ILHA DE ANJOUAN

CONGO RD

DESTAQUE RD CONGO

AFEGANISTÃO

O DILEMA AMERICANO DA RETIRADA SEM GLÓRIA

NOVA CALEDÓNIA

A colonização em questão na Nova Caledónia

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

Rádio

Publicidade

Especial Brasil Eleições

África do Sul adverte Bolsonaro sobre os BRICS

| Editoria Especial Brasil Eleições | 19/11/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, felicitou Jair Bolsonaro pelo triunfo nas eleições presidenciais e lançou um aviso à navegação: se o novel Presidente do Brasil se afastar do BRICS (formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) acabará prejudicando os interesses do país sul-americano.

A advertência foi feita durante um encontro com correspondentes estrangeiros em Joanesburgo. Nele, Cyril Ramaphosa reconheceu que as políticas de Bolsonaro são “diferentes” e que a África do Sul “estava mais próxima” do Partido dos Trabalhadores (PT).

O novo Presidente brasileiro “entrará para uma família BRICS que está quase irrevogavelmente comprometida com o multilateralismo, que procura fazer as coisas de uma maneira a fortalecer o benefício mútuo. Se começar a empurrar numa direcção diferente, acabará por prejudicar os interesses do Brasil”, afirmou o presidente sul-africano.

Embora durante a campanha eleitoral Bolsonaro tenha dado a entender que se afastaria deste bloco, Cyril Ramaphosa acredita que Bolsonaro não perderá as “oportunidades” oferecidas pelo BRICS. Questionado sobre as opiniões racistas expressadas no passado por Bolsonaro, especialmente contra a comunidade afrodescendente brasileira, Cyril Ramaphosa espera e deseja que o tratamento favoreça um melhor “entendimento”.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade