Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Abril de 2019

ANGOLA

A MOCHILA PESADA DA DÍVIDA PÚBLICA NO FUTURO DE ANGOLA

ARGÉLIA

Argelia: A revolução, passo a passo

MOÇAMBIQUE

Ciclone Idai devasta centro de Moçambique

ÁFRICA DO SUL

A Nação Arco-Íris está doente!

SUDÃO

ASCENSÃO E QUEDA DO DITADOR OMAR AL-BECHIR

ANGOLA

Os paradoxos da dívida e o papel da China

ÁFRICA

A soberania monetária e o CFA

MUNDO

Cuidado com os abutres !

Rádio

Publicidade

Especial Brasil Eleições

África do Sul adverte Bolsonaro sobre os BRICS

| Editoria Especial Brasil Eleições | 19/11/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, felicitou Jair Bolsonaro pelo triunfo nas eleições presidenciais e lançou um aviso à navegação: se o novel Presidente do Brasil se afastar do BRICS (formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) acabará prejudicando os interesses do país sul-americano.

A advertência foi feita durante um encontro com correspondentes estrangeiros em Joanesburgo. Nele, Cyril Ramaphosa reconheceu que as políticas de Bolsonaro são “diferentes” e que a África do Sul “estava mais próxima” do Partido dos Trabalhadores (PT).

O novo Presidente brasileiro “entrará para uma família BRICS que está quase irrevogavelmente comprometida com o multilateralismo, que procura fazer as coisas de uma maneira a fortalecer o benefício mútuo. Se começar a empurrar numa direcção diferente, acabará por prejudicar os interesses do Brasil”, afirmou o presidente sul-africano.

Embora durante a campanha eleitoral Bolsonaro tenha dado a entender que se afastaria deste bloco, Cyril Ramaphosa acredita que Bolsonaro não perderá as “oportunidades” oferecidas pelo BRICS. Questionado sobre as opiniões racistas expressadas no passado por Bolsonaro, especialmente contra a comunidade afrodescendente brasileira, Cyril Ramaphosa espera e deseja que o tratamento favoreça um melhor “entendimento”.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade