Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Novembro de 2018

ESTADOS UNIDOS

ESTADOS UNIDOS DEMOCRATAS RECUPERAM CÂMARA DOS REPRESENTANTES

COMORES

FRACASSO DA REBELIÃO NA ILHA DE ANJOUAN

CONGO RD

DESTAQUE RD CONGO

AFEGANISTÃO

O DILEMA AMERICANO DA RETIRADA SEM GLÓRIA

NOVA CALEDÓNIA

A colonização em questão na Nova Caledónia

ANGOLA

PANORAMA DOS RECURSOS HUMANOS EM ANGOLA

ANGOLA

EM NOME DO CANUDO, A FABRICA DOS DIPLOMAS

ARGENTINA

Será justiça o que fazem com Kirchner?

Rádio

Publicidade

Economia

Quénia: Conferência Sobre Economia Azul Sustentável

| Editoria Economia | 27/11/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Mais de 17 mil especialistas e autoridades de quase duas centenas de países participam, desde segunda-feira, em Nairobi, na Conferência sobre a Economia Azul Sustentável, que debaterá o uso e aproveitamento das águas.  

O evento é organizado de forma conjunta pelo Quénia, Canadá e Japão e conta com a assistência da União Africana (UA), União Europeia, assim como outras agências especializadas das Nações Unidas.

A reunião terá cerca de 300 encontros paralelos e, entre os seus objectivos fundamentais, debaterá sobre os oceanos, mares, lagos e rios, com o propósito de elevar a qualidade de vida de sectores como o das mulheres, jovens e povos indígenas.

Falando na sessão de abertura do conclave, que decorre no Centro de Convenções do Quénia, o presidednte Uhuru Kenyatta elogiou as perspectivas económicas da chamada economia azul e apontou que o uso da água, de forma sustentável, constitui todo um desafio.

Por seu turno, Moussa Faki Mahamat, em nome da Comissão da UA, enalteceu a importância dos recursos marítimos para o continente e o apoio desde organismo africano na economia azul.

Sublinhou que a União Africana dará novos passos nessa direcção e destacou que a entidade converteu esse ponto em um dos projectos estratégicos incorporados na Agenda 2063.

Diversos são os conceitos que se manejam para identificar a economia azul, a qual reconhece a importância dos mares e oceanos como reserva natural para a inovação e o crescimento, através do desenvolvimento sustentável e rentável.

 

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade