Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Saúde

Ébola na RDC à beira de um avanço no tratamento

| Editoria Saúde | 13/12/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A epidemia da ébola poderá ser administrada em casa se os testes de drogas na República Democrática do Congo forem bem-sucedidos, acredita Jeremy Farrar, importante cientista, especialista em doenças infecciosas e diretor do Wellcome Trust. Quatro drogas experimentais estão a começar a ser usadas como parte de um teste inovador em condições extremamente difíceis para combater o surto na RDC orientado pelo conflito.

O especialista afirmou que todos os dados colectados com o uso desses medicamentos serão reunidos com evidências de futuros surtos num programa de cinco anos que pode levar a tratamentos eficazes e licenciados. Isso poderia tirar os infectados pela ébola das unidades de isolamento, onde os pacientes são tratados por enfermeiras em máscaras, e permitir que eles sejam cuidados em casa. Segundo Farrar, o modelo poderia ser usado para encontrar tratamentos para outras doenças, como a febre Nipah e Lassa, que também se manifestam em surtos súbitos e letais.

Um plano para um programa de cinco anos de testes contra a ébola está prestes a ser assinado pela Organização Mundial de Saúde, o National Institutes of Health nos EUA, o Departamento para o Desenvolvimento Internacional no Reino Unido, o Wellcome Trust, as empresas farmacêuticas, bem como os Médicos Sem Fronteiras e a Aliança para Açção Médica Internacional (ALIMA), organizações que administram clínicas de campo.

 

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade