Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Economia

Angola sobe produção de petróleo para 1,533 milhões de barris por dia

| Editoria Economia | 13/12/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Angola alcançou em Outubro, uma produção diária de 1,533 milhões de barris de petróleo, um aumento de 22.000 barris face a Setembro segundo o relatório mensal da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Os valores divulgados representam um crescimento exponencial face aos 1,512 milhões de barris registados em setembro (o valor foi revisto em baixa face aos primeiros dados, que apontavam para uma produção diária de 1,519 milhões de barris), segundo a OPEP, com base em dados de fontes secundárias.

Com este aumento, Angola manteve a posição de segundo maior produtor africano de crude, ultrapassado apenas pela Nigéria.A Nigéria começou a liderar em 2016 a lista africana na produção petrolífera, com 1,853 milhões de barris diários, mas viu a sua produção descer até17.000 barris de crude. Em  Outubro, entretanto, a produção nigeriana alcançou  os 1,751 milhões de barris por dia, destronando Angola.

Em 2016, durante praticamente todo o ano e até maio de 2017, Angola liderou a produção de petróleo em África, posição que perdeu desde então para a Nigéria. A produção nigeriana foi condicionada por ataques terroristas, grupos armados e instabilidade política interna entre 2015 e 2016.

Os países produtores de petróleo assinaram um acordo  para reduzir a produção e fazer aumentar o preço do barril, o que forçou Angola a cortar 78.000 barris de crude por dia com efeitos desde 01 de janeiro de 2017, para um limite de 1,673 milhões de barris diários.

Segundo dados da OPEP,  Angola terá “furado” o acordo em Outubro de 2017, quando produziu 1,689 milhões de barris por dia.O último relatório da OPEP relata que, em termos de "comunicações directas" à organização, Angola terá produzido 1,457 milhões de barris de petróleo por dia em Outubro. Entretanto, os valores apresentados pela OPEP com base em dados de fontes secundárias contradizem as "comunicações directas", que apontam para um corte de 32.000 barris diários na produção angolana em Outubro, face a Setembro.

Desde o final de 2014 que Angola enfrenta uma profunda crise económica, financeira e cambial fruto da forte quebra nas receitas petrolíferas.

Em pouco menos de dois anos, o país viu o preço das exportações de barris  de petróleo  passar de mais de 100 dólares para vendas médias, no primeiro semestre de 2016, de 36 dólares por barril, segundo dados do Ministério das Finanças de Angola.

A consultora Focus Economics estimou um crescimento de 1,9% da economia angolana para 2018 e que acelere para os 2,3% em 2019, previsões sustentadas no estimado aumento do preço do petróleo. "A economia deve emergir da recessão em 2018 devido aos preços mais altos do petróleo, que são benéficos para o segundo maior produtor de petróleo na África subsariana", escreveram os consultores na análise de agosto às economias africanas, noticiada então pela Lusa.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade