Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Economia

Emissão de Eurobonds de Angola premiada em Londres

| Editoria Economia | 14/12/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A operação Palanca 2, que designa a segunda emissão de Eurobonds levada a cabo pelo Estado Angolano, nos mercados financeiros internacionais, realizada em Maio, acaba de ser considerada a melhor emissão soberana do ano de 2018.

Numa nota de imprensa distribuída em Luanda, o Ministério das Finanças refere que o galardão será entregue em Março de 2019, durante um evento a ter lugar em Londres, e é uma iniciativa da GFC, um grupo internacional especializado em informação financeira.

O Ministério das Finanças recorda que, em resultado da operação Palanca 2, o Estado angolano captou recursos na ordem dos 3,5 mil milhões de dólares.

A primeira parcela, com maturidade de 10 anos e com um valor nominal de 1.750 milhões de dólares, foi emitida com uma taxa de juro do cupão fixada em 8,25%. A

segunda, com maturidade de 30 anos e um valor nominal de 1.250 milhões de dólares, foi emitida com uma taxa de juro do cupão fixada em 9,375%.

Em Julho passado, face à grande procura registada, Angola usou a prerrogativa de reabrir esta emissão e, de modo complementar, captou 520 milhões de dólares, inscritos na parcela cuja maturidade se estende até 2048.

O Ministério ressalta que a confiança manifestada pelos investidores internacionais levou a que Angola emitisse, pela primeira vez, um título no mercado internacional com maturidade de 30 anos, juntando-se assim à África do Sul e à Nigéria, os únicos países da África Subsahariana a emitirem um título com essas características.

Os fundos dos Eurobonds estão a ser utilizados para despesas orçamentais, com especial destaque para o financiamento de projectos estruturantes e de impacto inscritos no Programa de Investimentos Públicos do Orçamento Geral do Estado (OGE), com ênfase para infra-estruturas de apoio à diversificação da actividade produtiva.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade