Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Fevereiro de 2019

ÁFRICA

ELEIÇÕES E DEMOCRACIA EM ÁFRICA A CONTROVÉRSIA SOBRE UM MODELO QUE SE IMPÕE

ÁFRICA

Calendário das Eleições em África 2019

ÁFRICA

O REFINAMENTO DOS REGIMES AUTORITÁRIOS NÃO É SÓ COISA DE AFRICANOS

CONGO RD

AS ELEIÇÕES NA RD CONGO AS PRECIOSAS LIÇÕES QUE A RD CONGO APRENDEU COM A CÔTE D’IVOIRE

ÁFRICA

A África é segunda no ranking mundial da desflorestação

EGITO

África quer tornar comércio intra-africano uma marca

ÁFRICA

«Guerra contra o terrorismo islâmico em Africa»: Anatomia de um fracasso

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

Rádio

Publicidade

Política

TPI examina novo pedido de libertação de Laurent Gbagbo

| Editoria Política | 14/12/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Tribunal Penal Internacional (TPI) reuniu-se nesta quinta-feira (13), à porta fechada, para se debruçar sobre a detenção do ex-presidente ivoiriense, Laurent Gbagbo, e de Charles Blé Goudé, antigo líder dos "Jeunes Patriotes" (Jovens Patriotas).

A câmara de instrução do TPI quer avaliar os riscos que pode representar uma eventual libertação provisória desses dois responsáveis políticos ivoirienses, indicou a imprensa Allafrica.

Ambos estão detidos na prisão de Scheveningen. Gbagbo encontra-se preso desde 2011, enquanto Goudé está encarcerado desde 2014, acusados de crimes contra a humanidade, ligados à violência pos-eleitoral de 2010-2011 na Côte d'Ivoire.

Desde a abertura do processo, vários pedidos de libertação provisória emitidos pelos conselheiros do ex-presidente ivoiriense foram rejeitados.

Até agora, a câmara de acusação justificava a sua recusa alegando que havia "uma vasta rede de apoiantes" que podia ajudar Laurent Gbagbo a fugir".

Porém, a defesa continua a pedir a absolvição de Gbagbo. E os juízes pediram aos advogados  do ex-presidente para proporem os países que podem eventualmente acolher os seus clientes, em caso de uma libertação provisória.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade