Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Economia

Banco Mundial ajuda refugiados nos Camarões

| Editoria Economia | 20/12/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Os Camarões e o Banco Mundial (BM) acabam de assinar quatro acordos de financiamento para apoiar a saúde dos refugiados nigerinos e centro-africanos residentes neste país, soube-se de fonte oficial em Yaoundé.

Os acordos foram rubricados, em Yaoundé, pelo ministro da Economia dos Camarões, Alamine Ousmane Mey, e pelo coordenador do grupo de desenvolvimento sustentável do BM, Issa Daw,

Avaliados em 84 milhões de dólares americanos, estes acordos visam principalmente fornecer um apoio substancial aos Camarões com vista a uma resposta humanitária às consequências das actuais crises político-militares na Nigéria e na República Centroafricana (RCA), responsáveis pelo fluxo de refugiados para aos Camarões.

Este financiamento será concedido para a construção de infraestruturas nas áreas da educação, saúde, água e saneamento básico, construção e  reabilitação de mercados rurais, instalações de armazenamento comunitário, estradas rurais e saneamento de pequenas áreas irrigadas.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR ), a 31 de Outubro último, os Camarões acolheu quase 372 mil 542 refugiados, incluindo 369 mil 217 provenientes da Nigéria e da RCA.

A presença destes refugiados, principalmente nas aldeias de acolhimento, cria uma grande pressão sobre os recursos disponíveis, levando assim a uma deterioração das condições de vida das populações acolhedoras nas regiões do Extremo Norte, do Norte e do Leste.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade