Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Dezembro de 2018

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

ARGENTINA

Marcha-atrás na Argentina

ANGOLA

O BALANÇO DO PASSADO PARA CONSTRUIR UM NOVO FUTURO

MOÇAMBIQUE

Os cinco dias que abalaram Moçambique

REINO UNIDO

BREXIT E O JOGO DO “EU SAIO MAS QUERO FICAR”

ÁFRICA

A doença do poder e os doentes no poder em Africa

ESTADOS UNIDOS

Guerras comerciais e desordem mundial

MUNDO

Memória Deixaram-nos em 2018

Rádio

Publicidade

Economia

Banco Mundial ajuda refugiados nos Camarões

| Editoria Economia | 20/12/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Os Camarões e o Banco Mundial (BM) acabam de assinar quatro acordos de financiamento para apoiar a saúde dos refugiados nigerinos e centro-africanos residentes neste país, soube-se de fonte oficial em Yaoundé.

Os acordos foram rubricados, em Yaoundé, pelo ministro da Economia dos Camarões, Alamine Ousmane Mey, e pelo coordenador do grupo de desenvolvimento sustentável do BM, Issa Daw,

Avaliados em 84 milhões de dólares americanos, estes acordos visam principalmente fornecer um apoio substancial aos Camarões com vista a uma resposta humanitária às consequências das actuais crises político-militares na Nigéria e na República Centroafricana (RCA), responsáveis pelo fluxo de refugiados para aos Camarões.

Este financiamento será concedido para a construção de infraestruturas nas áreas da educação, saúde, água e saneamento básico, construção e  reabilitação de mercados rurais, instalações de armazenamento comunitário, estradas rurais e saneamento de pequenas áreas irrigadas.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR ), a 31 de Outubro último, os Camarões acolheu quase 372 mil 542 refugiados, incluindo 369 mil 217 provenientes da Nigéria e da RCA.

A presença destes refugiados, principalmente nas aldeias de acolhimento, cria uma grande pressão sobre os recursos disponíveis, levando assim a uma deterioração das condições de vida das populações acolhedoras nas regiões do Extremo Norte, do Norte e do Leste.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade