Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Saúde

França determinada a apoiar Fundação Congolesa para Pesquisa Médica

| Editoria Saúde | 20/12/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Brazzaville - A França está determinada a consolidar a sua cooperação com o Congo, nos domínios da pesquisa médica, do ensino superior, desenvolvimento e ambiente, anunciou o embaixador francês em Brazzaville, Bertrand Cochery.

O diplomata fez esta declaração durante a sua visita às instalações da Fundação Congolesa para a Pesquisa Médica (FCRM).

"Para concretizarmos os objectivos da nossa cooperação, tomamos a iniciativa de levar um apoio à Fundação Congolesa para a Pesquisa Médica (FCRM), que tem uma perícia no domínio de pesquisa. Razão pela qual, decidimos visitar todos os compartimentos da Fundação para encontrarmos pesquisadores e trabalhadores que evoluem neste sector", declarou Cochery.

A visita permitiu-lhe constatar a qualidade dos materiais do Centro de Pesquisa sobre as Doenças Infecciosas, segundo o laboratório bioquímico de micro-bactéria e outros.

"Estes equipamentos respondem bem às normas de um laboratório no domínio da pesquisa e às doenças epidemiológicas", confirmou o embaixador francês.

Por sua vez, a presidente da FRCM, Francine Ntoumi, indicou que "graças a esta cooperação, estudantes que se lançam nas pesquisas bioquímica, da biologia molecular, nomeadamente, podem continuar os seus estudos em França ou ir especializar-se".

"França é uma boa referência no domínio da pesquisa médica. Precisamos de reforçar os nossos recursos humanos e esperamos que nos ajudem a aumentar a massa crítica dos cientistas congoleses em vários domínios", acrescentou Francine Ntoumi.

Criada em 2008, a FCRM leva a cabo especificamente pesquisas contra o paludismo.

                                                           

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade