Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Sociedade

Governo maliano ordena suspensão de programa sobre educação sexual

| Editoria Sociedade | 28/12/2018

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O primeiro-ministro maliano, Soumeylou Boubèye Maïga, ordenou  a suspensão de um programa sobre a educação sexual completa, empreendido pelo Ministério da Educação Nacional.

A decisão foi tomada no termo de uma reunião com líderes de todas as confissões religiosas do país, que se seguiu aos rumores segundo os quais, nos últimos dias, foi introduzida, no sistema educativo maliano, um novo programa relativo à homossexualidade, suscitando assim o descontentamento de alguns líderes religiosos do país.

O primeiro-ministro recomendou aos ministérios ligados a esta matéria, nomeadamente os da Educação Nacional, dos Assuntos Religiosos e Culto, da Juventude e do Emprego, para criarem um quadro de concertação com representantes de todos os líderes religiosos.

Este quadro precisou o ministro da Juventude e Emprego, Amadou Koïta, porta-voz do Governo, determinará "se os trabalhos deste programa devem continuar ou se eles devem pura e simplesmente ser abandonados".

"O Governo não lançará nenhuma acção lesivas aos valores islâmicos ou ainda às tradições do nosso país", tranquilizou o porta-voz do Governo.

Estiveram presentes neste encontro, além do primeiro-ministro, representantes do Alto Conselho Islâmico do Mali, do Agrupamento dos Líderes Religiosos do Mali, das Igrejas católica e protestante, das associações dos imames, das mulheres e dos jovens muçulmanos do Mali, bem como os ministros da Educação Nacional, dos Assuntos Religiosos e da Administração Territorial.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade