Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Saúde

Egito: Prisão de 12 membros de uma rede de tráfico de órgãos

| Editoria Saúde | 10/01/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

O Ministério do Interior do Egito anunciou na quarta-feira,9, a prisão de 12 pessoas, incluindo médicos, parte de uma "grande rede especializada em tráfico de órgãos".

 Entre os presos estão três médicos, quatro enfermeiras, três funcionários de um  hospital particular e dois intermediários, informou o ministério, acrescentando que alguns foram presos "enquanto operavam um homem para tirar um rim e uma parte do fígado, na  província de Giza, ao sul do Cairo, em troca de US $ 10.000 (8.500 EUR).

Segundo o ministério o hospital foi fechado e uma investigação foi aberta. A rede "chegou a um acordo com os egípcios para a transferência de seus órgãos para pacientes estrangeiros em troca de grandes somas de dinheiro", diz o ministério.

De acordo com as Nações Unidas, centenas de pobres egípcios vendem seus órgãos todos os anos para comprar o suficiente para viver ou pagar suas dívidas.

Em 2010, o parlamento egípcio aprovou uma lei proibindo o comércio de órgãos humanos, bem como transplantes entre egípcios e estrangeiros, excepto no caso de casais casados.

O coordenador da Organização Mundial da Saúde na época, Luc Noël, disse que o Egito estava entre os cinco principais países em termos de tráfico ilegal de órgãos.

 

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade