Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Março de 2019

MÉDIO ORIENTE

Nas areias movediças do Médio Oriente

ÁFRICA

Drogas em África As novas rotas do tráfico de heroína

ÁFRICA

A África a mercê de um Triângulo Voraz

ÁFRICA

África Oriental O regresso ao grande investimento nos Caminho-de-ferro

MUNDO

RefugiadosAs cifras da vergonha!

ÁFRICA

Estaca da África em Brexit

MUNDO

Racistas ou nem por isso?

EGITO

O futuro do Egipto passa pela energia solar

Rádio

Publicidade

Empresas

BNI NOTA DE ESCLARECIMENTO

| Editoria Empresas | 15/01/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Em resposta a noticia tornada publica, através do telejornal da estaçãoTV Zimbo, em relacção ao caso da alegada “ Burla a Tailandesa", tendo o BNI tomado conhecimento, da referência que o caso levará ao Tribunal o Presidente do Conselho de Administração do BNI,sem se quer fazer menção da qualidade processual, permitindo deste modo, adiversas interpretações pondo em causa o seu bom nome, vimos por intermédio desta esclarecer aosmeioscomunicaçãosocialeaopúblicoemgeraloseguinte:

1.          O PCA do BNI, Dr. Mário Palhares estará na qualidade de declarantee nãocomoarguidonaAudiênciadeJulgamento,aterlugarnopróximodia17 de Janeiro de 2019, pelas 09h00, na Sala de Audiências do Tribunal Supremo,conformenotificaçãododia18deDezembrodocorrenteano;

2.         Tal como havia sido noticiado, a intervenção do BNI no processo, decorre do cumprimento do deveres de diligência tendo em conta as melhorespraticasprevistasnaLei34/11de12deDezembrode2011Lei doCombateaoBranqueamentodeCapitaisedoFinanciamentoao Terrorismo, e demais legislação aplicável, uma vez que procedeu a comunicação à UIF- Unidade de Informação Financeira, de umaoperação suspeita relacionada com a apresentação de um cheque para efeitos de autenticação e certificação, por via do sistema de compensação internacionalSWIFT,

3.    °EstandooreferidoprocessoacorrertrâmitesjuntodoTribunalSupremo, registado sob o n.°001/18, em que é Autor da competente Acção Penal o Ministério Publico, importa esclarecer que a intervenção do Presidente do Conselho de Administração do BNI, Dr. Mário Palhares não mais não é do que o cumprimento do dever de cooperação com ajustiça.

Sendotudoquemenosaprazreferirdemomento,apresentamososnossos melhorescumprimentos.

Gabinete de Assessoria de lmprensa do BNI  —  Banco  de  Negócios Internacional

 

                

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade