Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Fevereiro de 2019

ÁFRICA

ELEIÇÕES E DEMOCRACIA EM ÁFRICA A CONTROVÉRSIA SOBRE UM MODELO QUE SE IMPÕE

ÁFRICA

Calendário das Eleições em África 2019

ÁFRICA

O REFINAMENTO DOS REGIMES AUTORITÁRIOS NÃO É SÓ COISA DE AFRICANOS

CONGO RD

AS ELEIÇÕES NA RD CONGO AS PRECIOSAS LIÇÕES QUE A RD CONGO APRENDEU COM A CÔTE D’IVOIRE

ÁFRICA

A África é segunda no ranking mundial da desflorestação

EGITO

África quer tornar comércio intra-africano uma marca

ÁFRICA

«Guerra contra o terrorismo islâmico em Africa»: Anatomia de um fracasso

MUNDO

BALANÇO 2018 PERSPECTIVAS 2019 PASSAGEM DO ANO ENTRE DEGRADAÇÃO ECOLÓGICA, MIGRAÇÕES E SUBIDA DA DIREITA AUTORITÁRIA

Rádio

Publicidade

Saúde

OMS envia quatro equipas médicas à Líbia para assistir pessoas deslocadas

| Editoria Saúde | 29/01/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

A Organização Mundial da Saúde (OMS) enviou quatro equipas médicas especializadas a várias cidades líbias, em resposta às necessidades urgentes da população líbia deslocada durante confrontos armados no país, exposta à insegurança desde a revolução de 17 de fevereiro de 2011.

Num comunicado publicado segunda-feira no seu site Internet, a OMS indica que, "em resposta às necessidades sanitárias urgentes das famílias deslocadas, na Líbia, foram enviadas quatro equipas médicas especializadas para Beni  Walid, Tarhouna, Ajdabia e al-Kich".

"As quatro equipas médicas são diferentes e prestam serviços com o apoio da Agência Norte-americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID). Cada equipa médica integra um médico interno, um pediatra, um ginecólogo, um dermatologista e um médico generalista", precisa o documento.

A infraestrutura sanitária da Líbia deteriorou-se consideravelmente nos últimos oito anos, devido à insegurança resultante dos confrontos entre grupos armados, fazendo fugir também o pessoal estrangeiro, daí um défice do pessoal médico a nível dos estabelecimentos sanitários.

As organizações especializadas do sistema das Nações Unidas dão um apoio material e logístico às autoridades líbias, refere-se.

Assim, no início de dezembro último, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) organizou, na Líbia, uma campanha nacional de vacinação de uma semana para quase dois milhões 275 mil crianças, do zero aos 15 anos de idade, contra o sarampo, a rubéola e a poliomielite.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade