Publicidade

Publicidade

Publicidade

África 21 OnlineÁfrica 21 Online

Registre-se na nossa newsletter e mantenha-se informado.
África 21 no Facebook

África 21 Online

Pesquisa

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook

Edição Impressa

Edição do Mês

Destaques da edição de Maio de 2019

ÁFRICA

A TERRA É A FONTE DE VIDA E DA MORTE

MUNDO

A POSSSE DA TERRA, A RECOLONIZAÇÃO SILENCIOSA QUE NÃO DIZ O NOME

ÁFRICA

O DILEMA DAS TERRAS EM ÁFRICA NA VIRAGEM DO MILÉNIO

MUNDO

INTERNET - O FIM DA DECISÃO E DA LIVRE ESCOLHA?

SUDÃO

A Revolução Sudanesa: a terceira será de vez?

ESTADOS UNIDOS

DONALD TRUMP, O FIM DOS IDEAIS AMERICANOS

ANGOLA

Angola - Novas Políticas Migratórias?

ÁFRICA

Basílica de YamoussoukroO “presente pessoal” de Boigny a Cristo!

Rádio

Publicidade

Sociedade

130 migrantes desaparecidos em naufrágio de dois barcos ao largo das costas djibutianas

| Editoria Sociedade | 31/01/2019

-A / +A

Imprimir

-A / +A

Mais de 130 migrantes foram dados como desaparecidos terça-feira última, 29, ao largo das costas do Djibuti, após o naufrágio de dois navios, anunciou quarta-feira, 30 de janeiro, a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Segundo a OIM, a tragédia ocorreu ao largo de Godoria, uma localidade da província de Obock, no nordeste do Djibuti.

Depois de alertada pelos habitantes da localidade, uma equipa da Gendarmaria mobilizou-se perto da zona onde o naufrágio foi assinalado e descobriu dois sobreviventes, bem como  cinco corpos sem vida, dos quais três mulheres e dois homens.

Alertada, a Guarda Costeira também lançou operações de busca e de salvamento que estão em curso com dois patrulheiros.

Segundo testemunhas locais, os barcos foram vítimas dum naufrágio quase 30 minutos após a sua partida, devido a uma sobrecarga e a fortes ondas no Mar Vermelho.

A OIM indicou que uma equipa sua está a assistir autoridades locais na busca de sobreviventes e que o seu pessoal descobriu um sobrevivente de 18 anos de idade, que estava a bordo do primeiro navio com 130 pessoas, das quais 16 mulheres. 

O sobrevivente declarou não ter informações sobre o segundo barco.

Os cinco corpos recuperados foram transportados pelo ministério da Saúde para um hospital para serem examinados.

A OIM disse gerenciar um centro de assistência de migrantes em Obock, onde mais de 500 indivíduos beneficiam duma assistência antes do seu repatriamento no quadro do pograma de regresso voluntário.

Imprimir

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Siga o portal África 21

Feed RSS Twitter Facebook
África 21 Online

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade